Simule e contrate

G1


Confronto aconteceu na tarde desta quarta-feira (28), no bairro Pedrinhas, na Zona Sul. Foragido da Justiça é morto em troca de tiros após perseguição em Macapá; vídeos gravaram ação Danillo Borralho/Rede Amazônica Um homem foi morto e uma mulher ficou ferida numa troca de tiros com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), no início da tarde desta quarta-feira (28), Zona Sul de Macapá. Ele foi identificado como Salomão Bentes, foragido da Justiça há 3 anos. Vídeos que circulam nas redes sociais gravaram o momento do confronto, que aconteceu por volta de 12h30 na Avenida Equatorial, no bairro Pedrinhas. O Bope informou que os policiais perceberam a dupla num veículo em atitude suspeita, quando deu ordem de parada. O carro não parou e a viatura o perseguiu. Os suspeitos só pararam quando tentaram dobrar em uma rua do bairro e colidiu de frente com um caminhão de coleta de lixo. Também de acordo com o Bope, há informações de que Salomão praticou um roubos pela manhã. As equipes ainda estão no local para apurar os crimes praticados. Salomão Bentes tinha passagens pela polícia por crimes contra tráfico de drogas, homicídio e porte ilegal de arma. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá

Cidadãos devem atentar para os horários de funcionamento dos números 199 e 153, já que com aumento da ocorrência de chuvas, linhas podem apresentar congestionamento. Defesa Civil e Guarda Municipal compartilham atendimento telefônico em Juiz de Fora Prefeitura de Juiz de Fora/Divulgação Os serviços de atendimento a chamados de sinistros realizados por equipes da Defesa Civil de Juiz de Fora estão funcionando de forma compartilhada nesta época que antecede o período de maior ocorrência de chuvas na cidade. Cidadãos devem atentar para os horários de funcionamento dos números 199 e 153, já que com aumento da ocorrência de chuvas, linhas podem apresentar congestionamento. Das 7h às 19h, as solicitações que chegam pelo telefone 199 são registradas pelo plantão da própria Defesa Civil. A partir das 19h e ao longo da madrugada, as ligações devem ser feitas para a Central da Guarda Municipal, através do número 153. O atendimento funciona todos os dias, incluindo fins de semana e feriados. As chamadas recebidas pela Guarda Municipal são repassadas para abertura de Boletim de Ocorrência junto à Defesa Civil e atendimento conforme protocolo do órgão. A medida foi tomada pela administração municipal também como forma de garantir que a lacuna deixada por servidores, em afastamento da função em decorrência da pandemia do coronavírus, não afete o serviço prestado pelo órgão.

Denúncias foram feitas entre 1º setembro e 17 de outubro. São, aproximadamente, 90 reclamações de descumprimento por dia na Grande Vitória. Passageiros fizeram mais de 4 mil denúncias sobre lotação e falta de máscaras em Transcol Entre 1º de setembro e 17 de outubro, os usuários do Sistema Transcol fizeram mais de quatro mil denúncias de superlotação (2.321) e falta do uso de máscara nos coletivos (1.878). As linhas mais citadas foram 591, 525, 501, 507 e 526. As reclamações foram feitas por meio do aplicativo OnibusGV, do Governo do Estado. Só entre maio e junho, foram mais de 17 mil registros desse tipo. Segundo a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb), eles representam 0,02% do total de passageiros transportados diariamente. Tanto o uso de máscara como o distanciamento dentro dos coletivos foi uma das medidas impostas pelo governo estadual para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Em março, o governo orientou que os ônibus saíssem dos terminais com a quantidade de passageiros compatível com o número de assentos. Na sequência, foram anunciados o afastamento de trabalhadores do grupo de risco, a suspensão dos ônibus com ar-condicionado e a obrigatoriedade do uso exclusivo do bilhete eletrônico para o pagamento da passagem. Terminal de São Torquato, em Vila Velha, ES Reprodução/ TV Gazeta No entanto, os passageiros alegam que o poder público não ofereceu alternativas para que a superlotação dos coletivos fosse evitada. Os problemas denunciados pelos usuários levaram o Governo do Espírito Santo a assinar, no início de setembro, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) do Ministério Público estadual proibindo passageiros de andarem em pé e pedindo que a higienização dos coletivos e dos terminais fosse reforçada. Com a queda na taxa de transmissão e os municípios com risco baixo para Covid-19, o governo decidiu, no início de outubro, que os veículos com ar-condicionado voltariam a circular e que os ônibus que fazem linhas expressas possam deixar o terminal com passageiros em pé. Ônibus do sistema Transcol continuam superlotados mesmo durante a pandemia da Covid-19 Reprodução/TV Gazeta Ceturb A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb) informou que esses dados são importantes para nortear as ações operacionais e ajudar a melhorar a qualidade do serviço, ajustando demanda à oferta. A companhia também informou que tem tomado medidas para impedir o contágio de Covid-19 dentro dos coletivos desde o início da pandemia, como a distribuição de um milhão de máscaras para os usuários. Segundo a Ceturb, no período, foram realizadas 564 mil viagens e 16.920 milhões passageiros foram transportados. As reclamações representam 0,02% do total de passageiros transportados diariamente. Apesar da flexibilização, a Ceturb disse que já está em fase de teste a nova função do aplicativo Ônibus GV, que mostra em tempo real a lotação do veículo, o que ajuda o passageiro a decidir sobre o embarque naquele veículo. Vídeos: Agora é assim? As mudanças na saúde e no comportamento após a pandemia Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo

Documento assinado por Bolsonaro e Guedes libera 'estudos' sobre 'modelos de negócios' do setor privado para as UBS. Decreto prevê estudos de parcerias privadas em postos do SUS O governo federal editou um decreto, publicado na terça-feira (27) no Diário Oficial da União (DOU), que libera estudos sobre parcerias com a iniciativa privada para “a construção, a modernização e a operação de Unidades Básicas de Saúde” do país, que fazem parte do Sistema Único de Saúde (SUS). Especialistas ouvidos pelo G1 demonstraram preocupação e cautela com o texto, que foi entendido como um ensaio para a privatização do SUS. Nesta reportagem, você verá detalhes do assunto, com as respostas para 5 perguntas: O que diz o decreto? O que ele significa? Já existem parcerias com o setor privado no SUS? O SUS pode ser privatizado? Por que as UBS são importantes? Veja abaixo: 1. O que diz o decreto? O decreto nº 10.530/2020 dispõe sobre “a qualificação da política de fomento ao setor de atenção primária à saúde no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, para fins de elaboração de estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada”. (Veja imagem abaixo e íntegra do texto no final desta reportagem). Decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) na terça-feira (27) libera estudos sobre parcerias com a iniciativa privada para “a construção, a modernização e a operação de Unidades Básicas de Saúde Reprodução/DOU O texto prevê, no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), a “elaboração de estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada” para construir, modernizar e operar os postos de saúde do país (conhecidos dentro do SUS como Unidades Básicas de Saúde, as UBS). O documento é assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Não há assinatura de nenhum integrante do Ministério da Saúde. 2. O que ele significa? Na opinião do pesquisador em saúde e direito Daniel Dourado, da USP, o texto do governo é obscuro. “É um decreto muito estranho, muito obscuro, a redação é muito ruim. É muito difícil, porque não dá para entender o que ele está falando”, afirma Dourado, ao mesmo tempo em que lembra que o programa de PPI do governo "é um programa que trata, basicamente, de concessões e privatizações”. Para Dourado, o que preocupa é o seguinte: "A questão é que já existem modelos de parcerias público-privadas na saúde (veja detalhes mais abaixo), não é disso que se trata. O que a gente pressupõe é que eles estão tentando buscar um outro modelo. O que eu acho preocupante desse decreto é que ele não vai tratar de algo que já existe. Se fosse, não precisaria fazer um decreto dizendo que vão estudar novos modelos de negócios", lembra. A especialista em saúde pública Lígia Bahia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), avaliou o decreto como "apressado" e considerou "estranho" o fato de a área da saúde não ter sido ouvida (Veja vídeo abaixo). Ministério da Economia está 'tacando fogo no SUS', diz Ligia Bahia "Essa inversão, essa chegada do Ministério da Economia na saúde é uma coisa extremamente preocupante, é um desastre. O ministro Paulo Guedes não entende nada de saúde”, afirmou Bahia. 3. A iniciativa privada pode ter parcerias com o SUS? Elas já existem? Sim, a iniciativa privada pode ter parcerias com o SUS. São três os tipos possíveis, explica a pesquisadora Ana Maria Malik, coordenadora do FGV Saúde, da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, especialista em parcerias entre setor público e privada (PPPs) na saúde: As feitas com as Organizações Sociais de Saúde (OSS), instituições filantrópicas do terceiro setor que não têm fins lucrativos e são responsáveis pelo gerenciamento de serviços do SUS em todo o país, atuando em parceria com os governos. A maioria dos postos de saúde de São Paulo, por exemplo, é administrada por uma OSS. As feitas pelo Proadi (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde), em que 5 hospitais de excelência brasileiros prestam serviços ao SUS – que vão desde projetos de educação até a assistência em saúde de alta complexidade, como é o caso dos transplantes (embora, segundo Malik, esses venham sendo feitos de forma menos frequente). Em troca, os hospitais recebem isenção de impostos. As feitas em PPPs, como é o caso do Hospital do Subúrbio, em Salvador. No caso baiano, especificamente, a empresa envolvida é responsável por equipar, mobiliar e operar a unidade hospitalar, incluindo os serviços médicos prestados. Os custos são pagos pelo estado da Bahia, e o atendimento às pessoas continua gratuito. No caso das OSS, a legislação que permite as parcerias é de 1998, enquanto a possibilidade de acordos com as OSS foi julgada pelo Supremo em 2016. 4. O SUS pode ser privatizado? De acordo com Daniel Dourado, da USP, só se for feita uma nova Constituição. Isso porque o direito à saúde está garantido na Constituição de 1988, e, por se tratar de uma cláusula pétrea, não pode ser alterada por meio de emenda constitucional. Dourado explica que, apesar de estar previsto na Constituição que é possível empresas privadas obterem concessões de serviços públicos e lucrarem com isso – como é o caso da concessão de estradas, por exemplo –, isso não pode ser feito na saúde. "Quando eles estão falando de modelo de negócio e de privatização e concessão, uma coisa tem que ficar muito clara: ter a lógica da iniciativa privada dentro do SUS não pode, é inconstitucional", diz. "A saúde é um direito social. O SUS está aí dentro – o direito à saúde está vinculado diretamente ao SUS pela própria Constituição. Se você mexer no SUS para inserir uma lógica privada, isso tem grande chance de escorregar para algo inconstitucional", explica. "Se ele [o decreto] tira acesso de uma parte da população à saúde – sabe-se lá por que caminhos, porque não deixam claro – isso não pode ser feito. A Constituição não permite isso e não pode ser emendada por esse caminho. Qualquer desvio para esse rumo pode entrar numa cláusula pétrea. Constituição não pode ser emendada para tirar ou diminuir direitos e garantias", esclarece o pesquisador. 5. Por que as UBS são importantes? UBS Álvaro Corrêa, no bairro São Lázaro, em Macapá PMM/Divulgação Elas são a porta de entrada preferencial no SUS, onde é feita a chamada atenção primária ou básica em saúde. Segundo o próprio Ministério da Saúde, o objetivo dos postos é “atender até 80% dos problemas de saúde da população, sem que haja a necessidade de encaminhamento para outros serviços, como emergências e hospitais”. "A rede básica tem um papel fundamental de organização da assistência", afirma Ana Maria Malik, da FGV. "Precisa tomar um cuidado muito grande para tentar evitar que isso [a parceria com o setor privado] atenda interesses diferentes, que não sejam exatamente os de organizar o sistema de saúde", alerta. Os três princípios da atenção básica são os mesmos do SUS: a universalidade, a equidade e a integralidade. Isso significa dizer que: o acesso a esses serviços deve ser universal; o cuidado oferecido deve reconhecer as diferenças entre as pessoas, e é proibido excluir alguém por causa de idade, gênero, cor, condição socioeconômica, escolaridade além de outras condições; os serviços devem atender às necessidades da população nos campos do cuidado, da promoção e manutenção da saúde, da prevenção de doenças, da cura, da reabilitação, redução de danos e dos cuidados paliativos. O que diz o governo? A secretária especial do PPI, Martha Seillier, declarou que "sabemos que falta estrutura de UBS em diversos municípios brasileiros. Infelizmente, das obras contratadas no passado, muitas delas não foram finalizadas". "Por isso, acreditamos que o modelo de PPP pode contribuir muito nesse sistema de UBS do Brasil, para que a gente possa, via parceria com empresas privadas, finalizar esses empreendimentos, construir novas UBS e equipá-las. E ter um serviço de excelência para a população", afirmou. O G1 procurou tanto o Ministério da Saúde como o da Economia para saber quantas e quais seriam e onde estariam localizadas as UBS não finalizadas, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem. Veja a íntegra do decreto: DECRETO Nº 10.530, DE 26 DE OUTUBRO DE 2020 Dispõe sobre a qualificação da política de fomento ao setor de atenção primária à saúde no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, para fins de elaboração de estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,caput, incisos IV e VI, alínea "a", da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 4º da Lei nº 13.334, de 13 de setembro de 2016, e na Resolução nº 95, de 19 de novembro de 2019, do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, D E C R E T A: Art. 1º Fica qualificada, no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República - PPI, a política de fomento ao setor de atenção primária à saúde, para fins de elaboração de estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada para a construção, a modernização e a operação de Unidades Básicas de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Parágrafo único. Os estudos de que trata o caput terão a finalidade inicial de estruturação de projetos pilotos, cuja seleção será estabelecida em ato da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos do Ministério da Economia. Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 26 de outubro de 2020; 199º da Independência e 132º da República. JAIR MESSIAS BOLSONARO Paulo Guedes" VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

Confira as primeira notícias do dia. Confira as primeira notícias do dia.

Câmera de segurança registrou quando as vítimas foram atropeladas, mais de uma vez, em Nerópolis (veja vídeo). Mulher, que ficou gravemente ferida, conta que companheiro era ciumento e possessivo: 'Me impedia até de trabalhar'. Suspeito de atropelar ex após separação é levado para Nerópolis Um homem de 42 anos é suspeito de atropelar a ex-mulher e o irmão dela, em Nerópolis, na região central de Goiás. Segundo a Polícia Civil, Rogério dos Santos Reis tentou matá-los por não aceitar o fim do relacionamento. Um vídeo gravado por câmera de segurança mostra o momento que o carro atropela os dois em uma moto e chega a passar mais de uma vez sobre as vítimas (veja acima). Segundo o delegado André Fernandes, o suspeito, preso na segunda-feira (26), em São Paulo, admitiu o crime, mas disse que não tinha a intenção de matar a companheira e, que na verdade, estava com raiva do cunhado, por ter o desrespeitado dentro de sua casa. No entanto, o investigador não acredita na versão apresentada pelo suspeito. "No que foi apurado até o momento, ele tem um histórico de ser agressivo e possessivo com a esposa. Ela contou que ele é muito ciumento e, depois de tentar ferir ela com uma tesoura, ela ligou para o irmão pedindo ajuda", disse o delegado. O G1 entrou em contato com a advogada responsável por defender Rogério, por mensagem de texto, às 13h24 desta quarta-feira (28), e aguarda retorno da defesa sobre as acusações. Após ser interrogado, ele foi encaminhado para o presídio de Goianápolis, onde permanece a disposição da Justiça. Segundo o delegado, o inquérito deve ser concluído na quinta-feira (28), indiciando o suspeito por tentativa de homicídio duplamente qualificado. Câmera de segurança registra quando mulher e o irmão dela são atropelados, em Nerópolis, Goiás Divulgação/Polícia Civil Mulher ficou gravemente ferida O caso aconteceu no dia 7 de outubro, por volta das 23h. Rosileide Pereira Dias, que aparece nas imagens junto com o irmão em uma moto, teve vários ferimentos pelo corpo. A dona de casa passou 13 dias internada, sendo cinco deles em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Após receber alta, está se recupera em casa, mas ainda não conseguiu voltar a andar. "Tive traumatismo craniano, perfuração nos pulmões, dentes quebrados, além da minha coluna que ficou trincada", contou. Segundo Rosileide, o casamento que durou 22 anos, sempre foi marcado por ciúmes e agressões verbais por parte do marido. Ela conta ainda que no dia do atropelamento, decidiu sair de casa porque ele havia ameaçado ela com uma tesoura. "Do nada ele começou a me impedir de trabalhar, de fazer as coisas que eu gostava. Daí nesse dia ele veio pra cima de mim com uma tesoura, mas ela tava sem ponta. Daí ele pegou forte no meu rosto, me jogou no sofá e eu senti a tesoura em mim, mas como tava sem ponta, não perfurou e eu consegui sair", disse. O irmão de Rosileide, o mecânico Lenilson Pereira Dias, que conduzia a moto, também ficou ferido. Ele quebrou três costelas e a bacia. "Covardia o que ele fez. Um momento de surto dele, não consigo entender", disse o irmão. Rosileide Pereira Dias ficou gravemente ferida após ser atropelada pelo marido, em Nerópolis, Goiás Reprodução/TV Anhanguera Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

Delegado detalhou que homens ordenavam o crime e executores entravam em contato por celular para mostrar o crime. Operação ocorreu em cinco cidades do estado. Homens que comandavam facções de dentro de presídios na Bahia, e que foram alvos de uma operação da Polícia Civil na terça-feira (27), acompanhavam execuções em tempo real de dentro das prisões. A informação é do delegado Felipe Neri, que participou das investigações. Na operação Gunsmith, contra duas organizações criminosas no estado, foram expedidos 79 mandados de prisão, busca e apreensão em cinco cidades baianas. Desses, 76 foram cumpridos. Foram presas 28 pessoas e três apreendidas. De acordo com Neri, os alvos da operação criaram um "tribunal do crime", onde os chefes das facções determinavam penas para seus rivais ou qualquer um que entrasse em conflito com eles. "Duas facções vinham disputando o território em Senhor do Bonfim com vários homicídios como resultados dessas disputas. O comando dessas duas facções estava sendo de dentro do presídio de Juazeiro e dentro do presídio de Feira de Santana. Durante o cumprimento dessas "penas", os executores entravam em contato com eles [presos] no momento da ação, via celular, para que eles presenciassem, em tempo real, que estava realmente sendo cumprida a determinação", revelou o delegado. Segundo Felipe Neri, duas pessoas que tiveram desavenças com pessoas desses grupos, tiveram suas "penas" exibidas em tempo real para os homens apontados como mandantes. "Uma senhora teve um desentendimento com uma das facções e a pena foi ceifar a vida do filho dessa pessoa, o que de fato aconteceu. Eles [mandantes do crime] acompanharam em tempo real, por celular, o cometimento desse crime, onde mataram o filho da senhora como punição", disse. "Teve um outro caso em que eles atiraram na perna de uma senhora, em Senhor do Bonfim, para que ela ficasse deficiente e esse fato também foi acompanhado por eles de dentro do presídio, em tempo real, além de torturas e crimes que eles acompanhavam de dentro do presídio. As investigações comprovaram que mesmo eles estando encarcerados continuavam comandando o crime organizado em Senhor do Bonfim e região", detalhou. Investigações e operação Polícia Civil deflagra operação contra organizações criminosas na Bahia Alberto Maraux/SSP-BA Todos os presos são suspeitos de integrarem as duas organizações criminosas com atuação de tráfico de drogas, porte ilegal de arma, homicídios e corrupção de menores na Bahia. Os presos foram levados para o Conjunto Penal de Juazeiro, no norte do estado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia(SSP-BA), na operação, foram cumpridos mandados de prisão, busca e apreensão em residências e presídios nas cidades de Senhor do Bonfim, Juazeiro, Lauro de Freitas, Feira de Santana e Barreiras. Durante a operação, foram aprendidas drogas e aparelhos celulares no Conjunto Penal de Juazeiro. Em um imóvel, em Senhor do Bonfim, a cadela farejadora Jade, da Coordenação de Operações Especiais (COE), detectou cocaína na parte superior de um armário. Em outra casa, um traficante tentou se esconder atrás de um armário, mas foi encontrado. A operação foi realizada pelo Departamento de Polícia Civil do Interior (Depin), através de investigação da 19ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Senhor do Bonfim), com apoio da Superintendência de Inteligência (SI) da (SSP-BA). Veja mais notícias do estado no G1 Bahia. Cadela farejadora Jade, da COE, detectou cocaína na parte superior de um armário durante a operação Gunsmith, no interior da Bahia Alberto Maraux/SSP-BA Policial civil durante operação em cidade da Bahia Alberto Maraux/SSP-BA Assista aos vídeos do Jornal da Manhã

Família diz que criança esperou cinco horas para receber socorro. Colégio diz que cabe recurso e que espera reverter decisão. Criança recebeu o socorro 5h após a queda, segundo a família. Arquivo Pessoal Uma decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais determina que o Colégio São Miguel Arcanjo, de Belo Horizonte, indenize a família de uma criança em R$ 12 mil reais por danos morais por causa de um acidente ocorrido em 2016. Cabe recurso. De acordo com a mãe da estudante, que na época tinha 6 anos, ela caiu e fraturou o braço por causa de um empurrão de um coleguinha, quando seguiam para uma atividade na biblioteca. "Minha filha comunicou à professora que tinha machucado o braço e pediu para que me ligassem, mas não teve o pedido atendido, mesmo explicando que estava doendo muito. Durante a aula de educação física também contou a outro professor que estava machucada, e só foi orientada a ficar sentada", disse a mãe ao G1. Segundo ela, que não quis ser identificada, a escola apenas colocou gelo no ferimento e a família da criança só foi descobrir o que havia acontecido no fim da aula, quando a mãe foi buscar a criança. A garotinha queixava muita dor. A família a levou para uma unidade de atendimento e foi constatado que ela havia quebrado o braço. O caso foi julgado em 2ª instância e a Justiça entendeu que "a conduta dos funcionários prolongou o sofrimento da aluna, pois ela só foi devidamente atendida cinco horas depois da queda e, ao receber a estudante, a instituição de ensino se reveste do dever de guarda e vigilância, sendo responsável também pela integridade física". Mudou de escola A criança cursava o 1º período e estava na escola havia dois anos. Por causa do trauma, a menina não quis mais voltar para o colégio. Os pais tiveram que transferi-la para outra instituição. A mãe contou que a criança ficou bastante deprimida, porque deixou de conviver com os amigos. Ainda de acordo com a família, a escola, mesmo tendo seguro, não custeou o tratamento da estudante. "Eles sequer nos mostraram as gravações e não se prontificaram em acompanhar no socorro", disse a mãe. O que diz o colégio O G1 entrou em contato com o Colégio São Miguel Arcanjo, que informou que o processo envolve menor e, diante da situação, se reserva ao direito de não expor os fatos ocorridos, para preservar a identidade da criança. A instituição também ressaltou, em resposta enviada por e-mail pelo advogado Adriano Gonçalves Arisio Maciel, que cabe recurso e que a escola espera reverter a indenização: "A decisão não é definitiva, ainda cabendo recurso, pelo que não há que se falar em condenação transitada em julgado, ante à possibilidade e confiança desta instituição de ensino no Poder Judiciário, esperando a reforma da decisão". "Informamos, ainda, que não é verídica a informação de "ausência de socorro devido" à menor, já que o processo demonstra o contrário, não sendo esta a causa ensejadora da indenização deferida na sentença que, repita-se, ainda não transitou em julgado", disse ainda o advogado. Veja os vídeos mais assistidos do G1 Minas nos últimos dias

Segundo a Secretaria-Geral, texto será publicado entre até quinta-feira (29) no Diário Oficial da União. O presidente Jair Bolsonaro decidiu sancionar integralmente a lei sobre a prorrogação de incentivos fiscais destinados ao desenvolvimento das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, envolvendo montadoras de veículos ou fabricante de autopeças. Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, o texto será publicado entre esta quarta (28) e quinta-feira (29) no Diário Oficial da União. Texto será publicado entre até quinta-feira (29) no Diário Oficial da União. Divulgação/MAN O benefício para as empresas habilitadas ao regime se dá por meio de crédito presumido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), como ressarcimento das contribuições para o Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). A medida é decorrente da conversão em lei da Medida Provisória 987/2020. O texto sancionado também contempla a possibilidade de prorrogação do aproveitamento dos créditos presumidos do IPI de 31 de dezembro de 2020 para 31 de dezembro de 2025, destinados a empresas instaladas nas mesmas regiões. A Secretaria-Geral informou ainda que, em respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal, como medida de compensação para a essa prorrogação do aproveitamento dos créditos do IPI, o Imposto sobre Operações de Crédito e Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF) incidirá sobre as operações de crédito praticadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), na forma da lei então sancionada. Vídeos: Veja as últimas notícias de economia

Assista às principais notícias do Pará Assista às principais notícias do Pará

Anderson Matos acredita ter abrigado 30 macas. Ele e sai equipe ofereceram água e ligaram aparelhos médicos com extensões nas tomadas da loja. "Ficou uma loucura aqui" diz funcionária de borracharia que recebeu pacientes de hospital O gerente da Rio Paiva Pneus, oficina que serviu de refúgio para parte dos pacientes retirados às pressas com o incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso, nasceu na maternidade da unidade, há 40 anos. Anderson Matos trabalha há 21 anos na borracharia, desde 1983 funcionando em frente ao complexo hospitalar, na Avenida Londres. Ele acredita que a Rio Paiva recebeu 30 macas e 60 pessoas nesta terça-feira (27). “A gente vê notícia sobre o hospital, mas este cenário era impensável. Mesmo vendo a fumaça subindo, você não pensa que vai terminar assim”, disse Anderson. “Foi um movimento de guerra”, emendou. Pacientes retirados do Hospital Federal de Bonsucesso foram levados para borracharia vizinha Caio Basilio/Futura Press/Estadão Conteúdo Oficina desafogou o pátio Anderson conta como a ajuda surgiu. “As macas estavam se acumulando em uma das entradas da Emergência, e logo não ia ter mais espaço. Foi uma coisa instantânea: uma das nossas funcionárias, que estava acompanhando de perto, teve a ideia de colocá-las para dentro”, narrou. Em poucos momentos, o pátio começou a receber pacientes, profissionais de saúde e bombeiros. A movimentação durou entre 10h30 e 14h. Nesse tempo, Anderson e sua equipe ajudaram médicos e enfermeiros oferecendo água e extensões para que os aparelhos vitais seguissem ligados. Os carros que estavam para revisões e reparos não precisaram ser retirados. “O tráfego na rua já tinha fechado, o nosso movimento já estava estancado. Os carros estavam alocados em seus devidos elevadores, e o pátio ficou livre”, explicou. Entrada da Rio Paiva Pneus, oficina em frente ao Hospital Federal de Bonsucesso Cristina Boeckel/G1 ‘Não sou herói’ O gerente da oficina contou que só se deu conta da proporção do que aconteceu muito tempo depois. “No momento, você age por instinto. Não tem o que pensar. Só depois que você começa a ver a repercussão, você se dá conta do tamanho da história em que você está envolvido”, disse. Ele nega o título de herói para ele e para os funcionários. “Só depois que você pensa. Sou um herói? Não sou. Porque os profissionais de saúde fizeram uma coisa absurda, o improviso, eles nunca tinham passado por isso. Demos apenas uma pequena contribuição”, contou Anderson. Movimento na Rio Paiva nesta quarta (28) Cristina Boeckel/G1 VÍDEOS: O incêndio no hospital Initial plugin text

Assista aos vídeos do telejornalismo com as notícias do Vale do Paraíba e região. Assista aos vídeos do telejornalismo com as notícias do Vale do Paraíba e região.

Assista aos vídeos do telejornal com notícias do centro-oeste paulista. Assista aos vídeos do telejornal com notícias do centro-oeste paulista.

Documento foi elaborado por equipe técnica e acadêmica e sugere decisões a serem tomadas em diferentes ambientes. Medidas foram baseadas em recomendações nacionais. Protocolo de Biossegurança durante pandemia é publicado pela UFU Universidade Federal de Uberlândia/Divulgação O Comitê de Monitoramento à Covid- 19 da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) divulgou Protocolos de Biossegurança para orientar o retorno das atividades institucionais diante da pandemia da Covid-19. As medidas visam garantir a segurança sanitária dos estudantes, servidores e agentes públicos. O documento foi elaborado por dois grupos de trabalho de colaboração: um técnico e outro acadêmico. Os membros levantaram as experiências nacionais e internacionais, recomendações e protocolos de biossegurança das Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Educação, da Secretaria Municipal de Saúde e de autoridades sanitárias. "A pandemia nos impôs a reinvenção do nosso cotidiano, alterando nossas rotinas, nossos locais de trabalho e nossos projetos. No entanto, a universidade vem cumprindo com compromissos estabelecidos com a sociedade e, com a união de esforços, podemos ser protagonistas e agentes na transformação de uma sociedade compromissada com o futuro e com as novas gerações”, disse o reitor Valder Steffen. Entre diretrizes a serem adotadas estão: limitação do número de pessoas nas instalações da UFU; limitação do tempo de permanência e da proximidade física entre estudantes, servidores e colaboradores; higienização e desinfecção dos espaços; ventilação e iluminação natural dos espaços; além de procedimentos nas portarias, bibliotecas, entre outros. Confira o documento na íntegra. “O Protocolo de Biossegurança ajudará os gestores da UFU a tomarem as decisões sobre a utilização dos espaços físicos, como laboratórios, salas de aulas, restaurantes universitários, etc. É o protocolo que vai apontar, por exemplo, a forma de retorno presencial dos estudantes”, explicou o pró-reitor de Graduação da UFU e presidente do Comitê de Monitoramento à Covid-19, Armindo Quillici Neto. Aulas remotas Em junho, a instituição havia anunciado a retomada das atividades da pós-graduação de forma remota. Depois, o Ministério Público de Federal (MPF) recomendou o retorno das atividades nos cursos de graduação e atividades remotas foram aprovadas em julho. As aulas estavam suspensas desde o início da pandemia da Covid-19. Segundo a Universidade, as atividades foram divididas em dois períodos letivos especiais. Um projeto de auxílio emergencial para que estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica também foi anunciado.

Caso aconteceu na noite desta terça-feira (28), segundo a Polícia Militar. Após perícia no Itep, corpo de idosa foi liberado para sepultamento, na manhã desta quarta-feira (28). Lucas Cortez/Inter TV Cabugi Uma idosa de 63 anos morreu após ser atingida nas costas por um tiro disparado por criminosos que tentavam realizar um assalto, na noite desta terça-feira (27) no Litoral Norte potiguar. As informações foram confirmadas pela Polícia Militar. De acordo com a PM, a mulher seguia com um familiar em uma moto, pela BR-101, quando criminosos teriam saído de um matagal e tentado forçar a parada do veículo, próximo à entrada para a praia de Zumbi No entanto, o piloto da motocicleta acelerou para tentar fugir dos criminosos. Os homens então atiraram e atingiram Maria Lindalva de Oliveira Mafra, de 63 anos, nas costas. A bala ainda transfixou o corpo da mulher e também atingiu o piloto. Apesar de feridas, as vítimas seguiram até o município de Touros, onde foram socorridas ao hospital. Maria Lindalva não resistiu e morreu na unidade. O corpo da mulher foi levado para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), em Natal, e liberado durante a manhã desta quarta-feira (28) para sepultamento. O caso será investigado pela Polícia Civil. Até a publicação desta matéria, nenhum suspeito do crime foi preso.

Assista a todos os vídeos do telejornal com notícias de Santarém e Região. Assista a todos os vídeos do telejornal com notícias de Santarém e Região.
Caso foi denunciado ao Conselho Tutelar há dois anos, quando abusos começaram. Inquérito foi concluído e outra pessoa foi indiciada; não há detalhes sobre 2ª prisão. Um homem de 59 anos foi preso por ser suspeito de estuprar quatro meninas, com idades entre 9 e 14 anos, na cidade de Canavieiras, sul da Bahia. Nesta quarta-feira (28), a polícia concluiu o inquérito do caso e pediu à Justiça a conversão da prisão temporária para preventiva. Serviços de apoio jurídico e psicológicos gratuitos auxiliam mulheres vítimas de violência na BA As vítimas são irmãs. Segundo a delegacia da cidade, elas são vizinhas do suspeito, que foi preso no dia 1º de outubro. Com a conclusão do inquérito, a polícia indiciou outra pessoa de 41 anos, que também é suspeita de estuprar as vítimas. Não há detalhes se essa pessoa é homem ou mulher, nem se ela já foi presa. Os suspeitos não tiveram nome divulgado pela delegacia, porque os abusos foram cometidos contra crianças e adolescentes. O caso corre em segredo de justiça para preservar as vítimas. A polícia também apreendeu notebook, celular, pen drive e roupas femininas de crianças na casa do homem preso. Investigações Antes de ser detido, o homem de 59 anos já estava sendo investigado há pelo menos dois anos, mesmo tempo em que as vítimas começaram a ser abusadas. O Conselho Tutelar já havia recebido denúncias da família contra ele, por abusar das quatro irmãs. No momento em que o homem foi preso, as vítimas prestaram depoimento e confirmaram os abusos. As investigações do inquérito concluíram que o homem cometeu o crime. Ele já havia sido levado para o presídio de Ilhéus no dia 2 de outubro e permanece na unidade. Após analisar o material encontrado na casa dele, a polícia suspeita que outras garotas também foram estupradas por esse homem. Ele será indiciado por estupros de vulneráveis. Veja mais notícias do estado no G1 Bahia. Assista aos vídeos do Jornal da Manhã 💻 Ouça 'O Assunto' 🎙

Pedido do Ministério Público foi encaminhado a promotores públicos. Procurador afirma que ações já foram realizadas em mais de 60 cidades do Ceará. Ministério Público realiza campanhas de combate ao desrespeito às normas sanitárias em cam O Ministério Público do Estado recomendou nesta quarta-feira (28) que os promotores eleitorais peçam a cassação do registro de candidatos do Ceará que promovem aglomerações em eventos da campanha eleitoral em 2020. Conforme o Ministério Público, esse tipo de evento, em meio à pandemia de Covid-19, se caracteriza como abuso de poder econômico e político, o que pode levar à perda de mandato de candidatos que venham a se eleger. O procurador-geral da Justiça do Ministério Público do Ceará, Manuel Pinheiro, afirma que há ações em andamento contra candidatos de 60 dos 184 municípios cearense. "O que nós queremos é que os candidatos possam se ajustar, cumprir as regras eleitorais. Sabemos que todas as campanhas exigem essa liberdade de ação, tentar convencer os eleitores, mas no contexto que vivemos de pandemia tão grave é fundamental que os atos de campanha sejam adaptados a essa nova realidade". Campanhas políticas geram aglomeração no CE Conforme Manuel Pinheiro, promotores registraram ações de indenização por danos morais coletivos contra esses infratores. Nas cidades de Meruoca e Barro, a Justiça proibiu eventos de campanha que juntem multidão, incluindo carreatas e comícios. O coordenador do Centro de Apoio Operacional Eleitoral, Emmanuel Girão, acrescenta que esse tipo de aglomeração desequilibra o pleito eleitoral. "Estão usando o poder econômico, o poder de autoridade do qual os partidos políticos também são investidos, para desequilibrar a disputa em detrimento daqueles que vem realizando suas campanhas de acordo com as regras estabelecidas", afirma. Justiça proíbe aglomerações durante a campanha eleitoral de Meruoca, no Ceará Arquivo pessoal Assista às principais notícias do Ceará resumidas em um minuto:

Com bandeiras de candidatos, trabalhadores também foram vistos nas ruas com a proteção mal colocada. Máscara é obrigatória na metrópole e há multa para quem desrespeitar. Cabos eleitorais são flagrados sem máscara nas ruas de Campinas Cabos eleitorais de diversos candidatos de Campinas (SP) foram flagrados pela produção da EPTV sem máscaras ou com o equipamento de proteção mal colocado. A situação ocorre tanto no Centro quanto em outros bairros. Há registros até na Avenida Francisco Glicério. O uso de máscara é obrigatório na cidade por conta da pandemia do novo coronavírus e o pedestre flagrado sem a proteção -- ou com ela mal colocada -- acaba multado em R$ 100. A responsabilidade da fiscalização é da Guarda Municipal. "O cabo eleitoral é o candidato em si, ele simplesmente está divulgando as ideias do candidato. Se ele mostra uma ideia errada, complica muito", opina o comerciante Luiz Fernando Bueno. O produtor da EPTV Johnny Inselsperger percorreu as avenida Francisco Glicério, Orosimbo Maia, Norte Sul e outros pontos da cidade. Durante o trajeto, flagrou cabos eleitorais sem máscara em conversa com pedestres. "Eu acho errado porque nós estamos no meio de uma pandemia e além de ele poder passar para os outros, pode contrair, causar algum malefício para a população em geral", critica técnico em informática, Ronaldo Araújo. Da Boca do Candidato: veja o que cada um promete para Campinas Cabos eleitorais com bandeiras de candidatos e sem máscara na Avenida Francisco Glicério, em Campinas Johnny Inselsperger/EPTV "Eu acho que tem que punir o candidato, entendeu? E a pessoa que está trabalhando também", afirma outro pedestre. "Eles mesmo dizem que estão atrás do cuidado da população, mas eles mesmos que não fazem com cuidado", acrescenta a estudante Raíssa Cavalcante. Campinas continua em quarentena "O uso de máscaras em locais públicos é obrigatório. Campinas continua em quarentena e as medidas sanitárias como o uso de máscaras, de álcool em gel e o distanciamento social deverão ser mantidas", afirma a prefeitura, em nota. A administração também informa que a Guarda Municipal mantém a fiscalização e, em caso de uso incorreto da máscara ou se constatar que a pessoa não está utilizando o equipamento, há a aplicação da multa de R$ 100 ou a doação de uma cesta básica de valor equivalente ao Banco de Alimentos. Segundo a prefeitura, já foram aplicadas mais de 300 multas na cidade. "A prefeitura tem desenvolvido várias ações de informação, comunicação e mobilização social no sentido de que as pessoas incorporem o hábito do uso de máscaras como prevenção ao novo coronavírus no seu cotidiano". Cabo eleitoral sem máscara se aproxima de pedestre em Campinas Johnny Inselsperger/EPTV Veja as promessas dos candidatos em vídeos Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Confira destaques do JAM 1ª Edição desta quarta-feira, 28 de outubro de 2020. Confira destaques do JAM 1ª Edição desta quarta-feira, 28 de outubro de 2020.

Doze concorrentes disputam o comando do Poder Executivo nas eleições municipais de 2020 na maior cidade do Oeste Paulista. Conheça as propostas dos candidatos a prefeito de Presidente Prudente para a cultura Os 12 candidatos a prefeito de Presidente Prudente nas eleições municipais de 2020 concederam entrevistas à TV Fronteira nas quais apresentaram as suas propostas de governo para o desenvolvimento da cultura no município (assista ao vídeo acima). As chapas concorrentes são, em ordem alfabética dos nomes dos candidatos a prefeito: Prefeito: Edson Tomazini (PSB) Vice-prefeito: Izaque José da Silva (PATRIOTA) Prefeito: Fábio César Sato (MDB) Vice-prefeito: Jailton João Santiago (MDB) Prefeito: Glauco José Bazzo (PTC) Vice-prefeita: Cacilda Santos Magalhães (PTC) Prefeito: Guilherme Piai Silva Filizzola (PSL) Vice-prefeita: Neyla Pinheiro (PSL) Prefeito: João Felício Figueira (PRTB) Vice-prefeito: Arnaldo Vicente Erani Gonino (PRTB) Prefeito: José Lemes Soares (PDT) Vice-prefeito: Luís Santo Schicotti (PDT) Prefeito: Juliano Camilo Borges (PODE) Vice-prefeito: Wadir Olivetti Junior (PODE) Prefeito: Laércio Batista de Alcântara (DEM) Vice-prefeito: Marcos Vinha (DEM) Prefeito: Luís Paulo Valente (PT) Vice-prefeita: Evelyn Cristina Ferreira Paula (PT) Prefeito: Marcos Antonio de Carvalho Lucas (AVANTE) Vice-prefeita: Myriam de Andrade Caminha Costa (AVANTE) Prefeito: Nelson Roberto Bugalho (PSDB) Vice-prefeita: Ieda Maria Munhos Benedetti (PSDB) Prefeito: Paulo César de Oliveira Lima (PSD) Vice-prefeito: Milton Gonzaga de Lima (PSD) A votação está marcada para o dia 15 de novembro, das 7h às 17h. Maior cidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente tem 178.309 eleitores e 60 locais de votação. Prefeitura de Presidente Prudente Aline Costa/G1 Initial plugin text Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Mais cedo, chefe da polícia paulista havia afirmado que o assassino do ator Rafael Miguel e dos pais dele tinha sido detido no norte paranaense. O delegado-geral de Polícia de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, disse que a Polícia Militar do Paraná irá anunciar que se confundiu e que Paulo Cupertino, assassino do ator Rafael Miguel e dos pais dele, não foi preso no norte paranaense. O próprio Fontes havia divulgado mais cedo que o assassino havia sido preso. (CORREÇÃO: com base na informação da polícia de São Paulo, o G1 chegou a noticiar a prisão de Paulo Cupertino. Essa notícia foi chamada com destaque no G1 e nas redes sociais do G1. E foi enviado um alerta por celular. Pelo erro, pedimos desculpas.) Na segunda-feira (26), a Polícia Civil descobriu que Cupertino fez uma identidade com uma certidão de nascimento falsa em Jataizinho, no norte do Paraná. Ele estava usando nome falso de "Manoel Machado da Silva" como um disfarce para se esconder. No dia que fez o pedido de nova identidade, o acusado usou um endereço de Ibiporã, cidade que fica a 8 quilômetros de distância de Jataizinho. Além do nome falso, a certidão também constava nomes diferentes dos pais dele e teria como origem a comarca de Rio Brilhante, que fica em Mato Grosso do Sul. Os dois documentos foram cancelados. 'Tenho 39 anos de carreira e caí neste conto', lamenta servidor que atendeu acusado de matar ator Rafael Miguel Acusado de matar ator Rafael Miguel conseguiu identidade falsa por falta de banco de dados nacional, diz delegado Fotos mostram Paulo Cupertino, acusado de assassinar ator em SP e foragido há mais de 1 ano Reprodução O crime O crime aconteceu em junho de 2019, na Zona Sul de São Paulo. Paulo Cupertino é acusado de atirar 13 vezes em Rafael Miguel e em seus pais, o casal João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50. Ele não aceitava o relacionamento da filha com Rafael Miguel. Em 19 de junho de 2020, a Justiça converteu o mandado de prisão temporária dele em preventiva. Desde julho deste ano, Paulo Cupertino estava na lista dos criminosos mais procurados pela polícia de SP. ‘Dano é irreparável’, diz namorada de Rafael Miguel um ano após assassinato do ator e família LAUDO: Assassino disparou 13 tiros em Rafael Miguel e nos pais dele Identificação Em agosto deste ano, o Instituto de Identificação paranaense recebeu a informação da Polícia Civil de São Paulo que o acusado poderia ter feito uma identidade em algum estado vizinho. Assim que as digitais foram enviadas de São Paulo para o Paraná, o Instituto fez uma análise e encontrou a identidade falsa. Paulo Cupertino, assassino de ator, usa identidade falsa de 'Manoel Machado da Silva' Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Objetos foram apreendidos durante o cumprimento de mandados no bairro Centenário. Polícia apreende máquinas e cartões de crédito em Ponta Grossa A Polícia Civil apreendeu, na terça-feira (27), 12 máquinas e quase 100 cartões de créditos em uma investigação sobre golpes virtuais, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Os objetos foram encontrados enquanto policiais cumpriam mandados de buscas em uma casa e em um comércio no bairro Contorno. Polícia apreendeu quase cem cartões e 12 maquinas, em Ponta Grossa Divulgação/PCPR A suspeita da polícia é que os cartões eram usados para que uma organização criminosa sacasse o dinheiro arrecadado nos golpes. O delegado Fernando Maurício Jasinski informou que a polícia ainda investiga se os donos dos cartões são laranjas usados pela quadrilha para a aplicação dos golpes. Um homem de 28 anos foi conduzido até a delegacia para esclarecimentos e depois foi liberado. Veja os vídeos mais assistidos do G1 Veja mais notícias da região em G1 Campos Gerais e Sul.

Após confusão, PM foi acionada para registrar a ocorrência e Vladimir Adabo (Patriota) foi levado para exame de corpo de delito. Empresário e esposa, que filmou a cena, negam acusação. Prefeito de Borborema registra BO após levar tapa de empresário durante discussão Arquivo pessoal O prefeito de Borborema (SP) Vladimir Adabo (Patriota), que está concorrendo à reeleição, registrou um boletim de ocorrência por injúria e ameça na noite desta terça-feira (27) depois de levar um tapa de um empresário da cidade. De acordo com o registro policial, o prefeito estava na rua fazendo campanha política quando o empresário chegou no local acompanhado de sua esposa e passou a discutir com ele. Durante a discussão, o homem dirigiu ofensas a Adabo e deu um tapa no rosto dele. A cena foi filmada pela esposa do empresário, que também discutiu com o prefeito no local. O vídeo está circulando nas redes sociais. (Veja abaixo) Prefeito de Borborema registra BO após levar tapa de empresário durante discussão Depois da confusão, a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar foram acionadas para fazer o registro da ocorrência e o prefeito foi encaminhado para fazer exame de corpo de delito. Em nota, Vladimir Adabo disse que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas e que as pessoas envolvidas na discussão serão criminalmente responsabilizadas. Já o casal, que é dono de uma construtora, disse que já tinha procurado o prefeito para tentar resolver pendências financeiras sobre serviços prestados pela empresa para a prefeitura e que, nesta terça-feira (27), os dois foram tentar conversar mais uma vez com ele sobre o assunto. De acordo com a mulher que fez o vídeo, não houve agressão. Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília. Initial plugin text Veja mais notícias do centro-oeste paulista:

Assista as matérias dos telejornais da TV Diário. Assista as matérias dos telejornais da TV Diário.

Candidato do Republicanos disse que vice de Covas, Ricardo Nunes, deve assumir caso o prefeito seja reeleito. Ele também afirmou que feiras e eventos de negócios deveriam ter sido liberados com a reabertura dos shoppings. Celso Russomanno durante reunião com representantes de feiras e eventos de negócios na Zona Sul de SP Tatiana Santiago/G1 Em um evento com representantes da União Brasileira de Feiras e Eventos de Negócios, o candidato do Republicanos à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, voltou a dizer que o número de moradores em situação de rua que morreram infectados com a Covid-19 é pequeno e criticou a ação do governo no enfrentamento da pandemia. "Lá no começo da pandemia todo mundo dizia: a Covid-19 vai dizimar os moradores de rua, vai dizimar as pessoas que estão nas ruas, no meio da Cracolândia consumindo drogas. E nada disso aconteceu", afirmou na manhã desta quarta-feira (28). "Aí veio a Covid e não aconteceu nada com eles, mas evento não pode, evento é vetor. Mas eles [Sem-Teto] estão nas ruas e o índice de óbitos de 28 mil pessoas, apenas 30 óbitos, 0,01. Quando na classe média alta nós temos 4", voltou a dizer. O candidato também criticou a imprensa por dar destaque ao que falou "tudo o que falo é motivo de ataque". De acordo com a Prefeitura de São Paulo, o último censo apontou que a cidade tem 24 mil moradores de rua. Há duas semanas, Russomanno já tinha dado uma declaração polêmica ao dizer que os moradores de rua e usuários da Cracolândia podem ser mais resistentes ao coronavírus porque "convivem o tempo todo nas ruas e não têm como tomar banho". O candidato declarou que as feiras e eventos de negócios não deveriam ter sido proibidos durante a pandemia, já que gera empregos e arrecadação para a cidade, e comparou com o funcionamento de estabelecimentos comerciais como os shoppings. "Qual a diferença de um shopping center para uma feira? Tem distanciamento na periferia?", questionou. Ele também disse que as crianças deveriam voltar às aulas. "Elas não podem ir pra escola, porque a escola é vetor, mas na rua podem ter contato com outras crianças. Tudo errado." Assim como seu apoiador, o presidente Jair Bolsonaro, Russomanno criticou o distanciamento social durante a pandemia. "O isolamento teria que ser vertical, não horizontal. Nós teríamos que cuidar das pessoas com qualquer tipo de doença, as pessoas com deficiência, os mais idosos, as pessoas vulneráveis", afirmou. Questionado pelos jornalistas se o presidente sumiu da sua propaganda eleitoral após sua queda nas pesquisas de intenções de voto por uma suposta rejeição dos eleitores, Russomano negou a mudança e disse que Bolsonaro vai aparecer novamente. "Não tem queda", argumentou. Russomanno também criticou a ação da prefeitura durante a pandemia com a lacração de estabelecimentos.  Após criticar a saída de João Doria da Prefeitura de São Paulo para disputar as eleições ao governo do estado e deixar a cadeira para seu vice Bruno Covas, Russomanno falou que, se o Covas vencer as eleições, quem deve assumir é seu vice, Ricardo Nunes. "E agora eles já prepararam o novo vice que deve ser o que vai assumir cheio de rolo na vida, pior ganhando dinheiro em cima de crianças, de creches", afirmou. Indagado pelo motivo da declaração de que Covas não permaneceria no mandato até o fim, Russomanno deu a entender que os problemas de saúde do prefeito, que trata de um câncer, seria um obstáculo. "Isso é uma coisa que só o médico dele pode responder." Celso Russomanno participou de encontro na Associação Comercial de São Paulo Eventos e feiras Durante o encontro, Russomanno questionou a concessão do Anhembi e disse que se a iniciativa privada pode ter lucro, a administração municipal também. O candidato afirmou que vai diminuir o Imposto sobre Serviços (ISS) para atrair as empresas que deixaram a cidade atraídas por preços menores de cidades vizinhas. "Voltem, eu preciso gerar empregos. Eu vou abaixar o ISS." Ele também disse que vai isentar a cobrança da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) durante as feiras e eventos. Initial plugin text
Fintech opera uma plataforma que permite que emissores, processadores e governos tenham acesso rápido e seguro a fluxos de pagamento por meio de uma única conexão. A Visa informou que adquiriu o controle da fintech YellowPepper, que atua em nove países da América Latina e Caribe, incluindo o Brasil. A companhia já havia feito, em 2018, um investimento minoritário na fintech, que opera uma plataforma com uma ampla gama de APIs para permitir que emissores, processadores e governos tenham acesso rápido e seguro a diversos fluxos de pagamento por meio de uma única conexão. Visa compra ‘fintech’ Plaid por US$ 5,3 bilhões A aquisição da YellowPepper acelera a estratégia da Visa em transformar-se na “rede das redes”, já que irá reduzir o time-to-market de emissores e processadores, e os custos para acessarem soluções inovadoras e interoperáveis. Eduardo Coello, presidente regional da Visa para América Latina, diz que a tecnologia da YellowPepper funciona como um adaptador universal, o que ajudará na estratégia da companhia de se tornar um ponto único de acesso para iniciar qualquer tipo de transação. Serge Elkiner continuará como CEO da YellowPepper. A transação ainda depende de aprovação das autoridades regulatórias. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia

Pianista e compositor pernambucano alia o ativismo do discurso à beleza de música requintada em disco autoral de canções inéditas. Capa do álbum 'Do meu coração nu', de Zé Manoel Kelvin Andrade / Máquina 3 Resenha de álbum Título: Do meu coração nu Artista: Zé Manoel Edição: Joia Moderna / ONErpm (distribuição digital) / Passa Disco (parceria na edição em CD) Cotação: * * * * * ♪ Em junho deste ano de 2020, Zé Manoel apresentou História antiga, primeiro single de álbum então intitulado Meu coração escuta e dita em silêncio. Nessa grandiosa composição da refinada lavra do artista, o cantor, compositor e pianista pernambucano – nascido em 1980 em Petrolina (PE) – recontou, com dor no peito, narrativa ancestral, genocida, que vem ceifando vidas negras ao longo de séculos de escravidão e injustiça social. No álbum lançado na segunda-feira, 26 de outubro, com o título já trocado para Do meu coração nu, Zé Manoel desenterra tesouros ancestrais, se despe dos pré-conceitos brancos e reconstrói essa narrativa social, oferecendo o posto de vista negro da história. O álbum Do meu coração nu bate no pulso da ancestralidade africana, mas no compasso próprio deste artista que transita pelo universo musical erudito com a mesma naturalidade com que finca notas no fértil solo afro-brasileiro. Pianista de mão cheia, de toque tão sucinto quanto preciso, já comumente arregimentado para discos de exigentes cantoras como Adriana Calcanhotto e Maria Bethânia (que o chamou para o álbum que apronta desde setembro com os toques de músicos como o também gigante violonista João Camarero), Zé Manoel se eleva – inclusive – como compositor em Do meu coração nu. História antiga, que já se insinuou grande em junho, fica ainda maior no contexto social e musical do álbum produzido pelo baixista baiano Luisão Pereira e lançado pela gravadora Joia Moderna em edição digital (distribuída via ONErpm) e edição em CD (fabricada em parceria com o selo Passa Disco, da homônima loja de discos do Recife). Não fosse a (boa) música, o disco já estaria legitimado somente pela reconstrução – em 11 faixas que encadeiam músicas e falas – do enredo da história do povo negro, evocativa da ancestralidade africana, como reforçam os versos em francês de Notre histoire, parceria de Zé Manoel com o compositor e baterista Stephane San Juan bafejada pelos sopros arranjados por Alberto Continentino. Zé Manoel lança o terceiro álbum de estúdio, 'Do meu coração nu', produzido por Luisão Pereira Kelvin Andrade / Máquina 3 / Divulgação Na exposição do disco Do meu coração nu, a canção Notre histoire sublinha a fala da historiadora sergipana Beatriz Nascimento sobre a invisibilidade dos povos negros e indígena no roteiro escrito por mãos brancas. Retirada do documentário O negro – Da senzala ao soul (1977), a fala da historiadora está alocada na faixa anterior intitulada Escuta Beatriz Nascimento e é ouvida sobre a música que brota do toque do piano de Zé Manoel. Em outra fala musicada, Escuta Letieres Leite, o maestro baiano – um dos arranjadores do álbum Do meu coração nu – defende a matriz afro-brasileira latente tanto no baião de Luiz Gonzaga (1912 – 1989) quanto no toque do piano de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994). Contudo, além do discurso tão legítimo quanto necessário, a música jamais fica em segundo plano no disco. Grande música, aliás. Nesse terceiro álbum de estúdio, o primeiro desde Canção e silêncio (2015), Zé Manoel atinge sublimes regiões emocionais com composições como Canto pra subir (Zé Manoel), inebriante canção de adeus composta pelo artista com inspiração nos versos “Você tem que aprender a sair da mesa quando o amor não está mais sendo servido”, eternizados pela cantora norte-americana Nina Simone (1933 – 2003) na gravação de 1965 da música You've got to learn (Il faut savoir, Charles Aznavour, 1961). No mesmo alto nível melódico e harmônico de Canto pra subir, a música No rio das lembranças propõe imersão nas águas doces de Oxum em que Zé Manoel revolve memórias ancestrais e embute canto de candomblé colhido no terreiro Xambá, de Olinda (PE). Guitinho da Xambá é parceiro (na letra) e convidado de Zé Manoel na faixa encorpada com o baticum e as vozes do Grupo Bongar, oriundo do mesmo terreiro. Guardião de falas e sensações imemoriais, o corpo é o templo que abriga a sensualidade romântica de Não negue ternura. Cantora e compositora baiana que também vendo apresentando outras visões da história negra, Luedji Luna é parceira e convidada de Zé Manoel nessa canção sobre amor preto e sobre aceitação. No discurso do álbum Do meu coração nu, as personagens negras se elevam ao alto e rogam proteções para sobreviver na selva das cidades violentas que exterminam o povo preto com balas perdidas que encontram sempre o mesmo alvo. Rogar às deusas é o que faz a poeta pernambucana Bell Puã nos versos ouvidos no prelúdio que antecede Pra iluminar o rolê (Zé Manoel), outra maravilha contemporânea do repertório inédito e autoral do álbum Do meu coração nu. Pra iluminar o rolê é canção embebida em latinidade (com ecos dos boleros caribenhos de João Donato) e leveza construída pelo arranjo que harmoniza o piano de Zé Manoel com a guitarra de Kassin, a bateria de Stephane San Juan e o baixo, órgão e synth pilotados pelo produtor musical Luisão Pereira. A atmosfera leve dilui a angústia do eu-lírico da canção por ignorar o paradeiro do ser amado. Já Wake my divine é flerte com a canção norte-americana. A música é de Zé Manoel. Escrita em inglês, a letra é de autoria da cantora norte-americana Gabriela Riley, convidada da faixa. No arremate do disco, Zé Manoel pede cura e externa gratidão ao orixá das doenças, Obaluaê. Com sopros orquestrados divinamente pelo maestro e arranjador Letieres Leite, Adubé Obaluaê – faixa previamente lançada em 19 de outubro como segundo single do álbum – reverbera Tincoãs no solo afro-brasileiro em que Zé Manoel assenta o álbum Do meu coração nu. Desse solo, Zé Manoel tem o mundo como horizonte infinito, vislumbrado pelo som sofisticado desse artista que ainda precisa ser (re)conhecido como um gigante do universo musical do Brasil para que ele não veja o aeroporto como a única saída viável para o crescimento de carreira que já soma mais dez anos de canções e silêncios.

Todos os candidatos interessados precisam ter mais de 18 anos no ato da inscrição. Seleção será feita por meio de entrevistas e análise de currículo. Projeto Voluntariar tem vaga vaga para revisor de texto em Ro Governo de Rondônia/Divulgação A Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) abriu inscrições para 42 vagas no projeto Voluntariar, que ressarce o profissional em R$ 50 por cada dia trabalhado e não gera vínculo empregatício com o estado de Rondônia. Os cadastros devem ser feitos até 3 de novembro. Segundo o estado, as oportunidades são para: Psicologia Fisioterapia Educação física Gestão pública Informática Administração Serviços gerais Pedreiro Pintor de obras Estatístico Revisor de textos (formado em Letras) Das 42 vagas ofertadas, 18 são para chamamento imediato e 24 de cadastro reserva. Todos os candidatos interessados precisam ter mais de 18 anos no ato da inscrição (clique aqui para se inscrever). A seleção será feita por meio de entrevistas e análise de currículo. Segundo o estado, a carga horária para os integrantes do projeto será de 30 horas semanais, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 13h30.

Mensagem falsa ensina ainda que beber 1,5 litro d’água ajuda a evitar a infecção pelo coronavírus; nenhum dos conselhos tem embasamento científico. Uma lista com recomendações para se prevenir a Covid-19 tem sido compartilhada por mensagens de celular. Entre as orientações estão a ingestão diária de ovo e a preferência por refeições servidas quentes. A mensagem diz que isso é capaz de prevenir a doença. É #FAKE. G1 A mensagem lista medidas para "fortalecer" o sistema imunológico do indivíduo. Começa dizendo: “Conselhos dos hospitais de isolamento: podemos ter em casa os cuidados que são tomados nos hospitais”. A listagem se inicia com a ingestão de vitaminas C e E, e depois traz o seguinte: “Das 10h às 11h, estar no sol durante 15 a 20 minutos; refeição com ovo uma vez ao dia; descansar ou dormir no mínimo 7 ou 8 horas; beber 1,5 litro de água diariamente; todas as refeições devem ser quentes (não frias)". De acordo com médicos entrevistados pela CBN, não existem estudos que comprovem que tais práticas evitam o contágio pelo coronavírus. A lista traz ainda o pH de alimentos a serem consumidos para se combater uma possível infecção pelo vírus. A relação já circula há meses e sua eficácia foi desmentida pela equipe do Fato ou Fake. Outra informação da lista é que a mistura de “limão com água morna elimina o vírus antes de ele chegar aos pulmões”. Isso também não é verdade, e já foi desmentido. O infectologista Renato Kfouri, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, explica que as recomendações compartilhadas não são necessariamente prejudiciais à saúde, como outras que vêm sendo disseminadas nas redes sociais desde o começo da pandemia. Contudo, não há nenhuma comprovação científica de que se possa evitar a contaminação agindo como sugere a lista. A profilaxia segue a mesma preconizada há meses pelas autoridades de saúde: evitar aglomerações, reforçar a higiene das mãos e usar máscara, protegendo nariz e boca. “Tomar sol moderadamente, se hidratar e ter alimentação equilibrada, com verduras, vegetais, proteínas e frutas são hábitos que promovem a saúde, aliando-se isso ao sono e à atividade física. Assim se melhora a qualidade de vida, a parte cardíaca, respiratória e também a imunidade. É óbvio que para qualquer um, não especificamente para a Covid-19. Não há evidência quanto a nada isso para a prevenção ao coronavírus. O mesmo vale para vitaminas. Não fazem mal, mas são falsas medidas preventivas. Não podemos nos descuidar das medidas que conhecemos: o distanciamento social, a lavagem de mãos e o uso de máscara”, alerta o médico. O infectologista Leonardo Weissmann, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, lembra que beber água com frequência é muito importante para o organismo, mas a água não “expulsa” o vírus do organismo. Já circulou, inclusive, um boato que dizia que ingerir água de 15 em 15 minutos previne a infecção, o que também foi desmentido pela equipe do Fato ou Fake. Quanto a se comer ovo todo dia, Weissmann explica: “Os ovos contêm vitaminas A, D, E, B6 e B12, além de sais minerais, como zinco, ferro e cobre. Mas isso não significa que seja necessário comer diariamente, seja pensando na Covid-19 ou em qualquer outra doença. Não há fundamento nesse conselho. Idem para comida quente. Sendo quente ou fria, não haverá qualquer influência na luta do organismo contra o vírus”, diz o médico. “Em relação à exposição à luz solar”, o infectologista aponta, “a inclusão na lista pode ter dois significados". "Se for por conta do calor, ele não mata o vírus (a informação já circulou e foi desmentida também pela equipe do Fato ou Fake). Caso seja pela vitamina D, que tem o sol como fonte principal, estudos sugeriram que indivíduos com deficiência dela possam ser mais suscetíveis à infecção pelo novo coronavírus do que aqueles com níveis normais. Porém, ainda não há evidências científicas suficientes para se recomendar a suplementação de vitamina D para a prevenção ou tratamento da Covid-19.” O pneumologista Rodolfo Fred Behrsin, professor do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, frisa que não existe dieta anti-coronavírus. “Pesquisadores no mundo todo buscam um medicamento que tenha ação efetiva contra essa doença e, infelizmente, os ovos ou outros alimentos não têm essa capacidade terapêutica”, afirma o médico. “O mesmo repito quanto a ficar exposto ao sol. E se consideramos o horário proposto, piora mais ainda, pois pode haver danos à pele. Sobre beber 1,5 litro d’água, sabemos que grandes quantidades de líquido de uma vez produzem distensão abdominal. É importante estar hidratado para uma boa recuperação da Covid-19, mas bebendo água aos poucos.” É #FAKE que fazer refeições quentes e comer ovo uma vez ao dia previnam a Covid-19 Reprodução Vídeo: Veja como identificar se uma mensagem é falsa Como identificar se uma mensagem é falsa VEJA outras checagens feitas pela equipe do FATO ou FAKE Initial plugin text

José Fortunati (PTB) se encontrou com pastores evangélicos, Manuela D'Ávila (PCdoB) foi até o Complexo Hospitalar da Santa Casa, e Rodrigo Maroni (PROS) cumpriu agenda no comitê. Os candidatos à Prefeitura de Porto Alegre cumpriram compromissos de campanha nesta quarta-feira (28), de acordo com agenda eleitoral na cidade. A RBS TV acompanha três candidatos por dia. Veja em ordem alfabética, do nome na urna, como foi o dia dos candidatos: José Fortunati (PTB), Manuela D'Ávila (PCdoB) e Rodrigo Maroni (PROS). Confira as agendas dos candidatos à Prefeitura de Porto Alegre Fortunati (PTB) José Fortunati (PTB) Reprodução/RBS TV O candidato José Fortunati (PTB) participou de um encontro com pastores evangélicos em uma igreja no bairro Navegantes, na Zona Norte de Porto Alegre. O evento, promovido pelo Conselho de Pastores do município, seguirá ouvindo outros candidatos à prefeitura. Para equipe da RBS TV, Fortunati falou sobre suas propostas para área da segurança pública, caso seja eleito. "Além dos focos em alguns bairros e algumas vilas, nós já detectamos a relação com a Secretaria de Segurança dois bairros que estão sofrendo muitos assaltos, que é são o Centro Histórico e Cidade Baixa. Ou seja, nós teremos que, muito rapidamente, fazer com que as ações da Guarda Municipal, Brigada Militar, e Policia Civil, principalmente, atuem. Precisamos rapidamente, quando assumirmos, especialmente nessas duas áreas, juntamente com algumas vilas populares, onde o narcotráfico está incrustrado. Nós teremos que agir com muita rapidez e força", afirma. Manuela D'Ávila (PCdoB) Manuela D'Avila (PCdoB) Reprodução/RBS TV A candidata Manuela D'Avila (PCdoB) visitou o Complexo Hospitalar da Santa Casa de Porto Alegre. Manuela conversou com a direção da instituição sobre uma forma de melhorar o atendimento oferecido à população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Ela expôs propostas para a área de segurança pública. "Reforçar o gabinete de gestão integrado da segurança, articularmos o monitoramento eletrônico da cidade fazendo com que todas as câmeras funcionem. Mas também queremos estabelecer centros comunitários de segurança, vinculados às regiões do orçamento participativo, para que a gente construa soluções que envolvam os nossos jovens e as nossas crianças em atividades de esporte, capacitação profissional, para juntos enfrentarmos a violência. Sem esquecer que Porto Alegre é uma cidade que ainda mata muitas mulheres, por isso, temos um plano de enfrentamento à violência contra mulher, estabelecendo três casas de acolhida contra a violência", afirma. Rodrigo Maroni (PROS) Rodrigo Maroni (PROS) Reprodução/RBS TV O candidato Rodrigo Maroni (PROS) cumpriu agenda no comitê de campanha. Ele conversou com protetores dos animais e gravou vídeos para as redes sociais incentivando a adoção. Sobre as propostas para a área da segurança publica, Maroni afirma que pretende colocar o salário dos servidores em dia, caso eleito. "A única maneira é valorizando os servidores públicos: guardas municipais, brigadianos, policiais civis e integrando, fazendo essas pessoas ganhando em dia, já é um grande ato que um prefeito e governador podem ter. São mecanismos para dar amplitude para segurança, iluminação pública, câmeras, monitoramento. A transversalidade dos setores da segurança, a própria EPTC [Empresa Pública de Transporte e Circulação] com controle da cidade, todos esses mecanismos, assim como numa casa que tem segurança, é tipo um alarme que a cidade pode ter para monitorar o crime", explica. Veja outros vídeos sobre as Eleições 2020 Initial plugin text

Suspensão de atividade deve impedir avanço da Covid-19 no interior do estado. Medida foi acordada com candidatos em São Paulo de Olivença e Parintins. Comício realizado na cidade de Manacapuru, em 2014. Arquivo Os municípios de São Paulo de Olivença e Parintins, no interior do Amazonas, suspenderam a realização de comícios na campanha eleitoral deste ano. A medida visa impedir o avanço da Covid-19, já que as atividades costumam gerar aglomerações. O Governo do Amazonas aponta que as constantes atividades de campanha política no interior do estado têm levado a um aumento de casos de Covid-19. Até esta terça (27), o estado registra mais de 158 mil casos e mais de 4,4 mil mortes pela doença. A atividade de campanha eleitoral já havia sido suspensa na terra indígena do Vale do Javari, em Atalaia do Norte. A região abriga a maior concentração de índios isolados do mundo e muitas aldeias ainda não tiveram casos da Covid-19. Em São Paulo de Olivença, distante 1.235 Km de Manaus, uma reunião foi realizada pela Justiça Eleitoral e representantes de quatro coligações partidárias que disputam as eleições na segunda-feira (26). Ficou acordado que não haverá novos comícios na sede e na Zona Rural da cidade. Estão autorizadas apenas as visitas políticas com o uso de até duas caixas amplificadas. Nos encontros com os eleitores, os candidatos devem evitar excessiva aglomeração de pessoas. Em locais fechados, a capacidade máxima de lotação deve ser de 50%. Ficou proibido, ainda, o transporte de pessoas em veículos durante as carreatas, com exceção para os próprios candidatos. Nas comunidades indígenas e ribeirinhas, estão liberadas apenas as reuniões políticas. As medidas de prevenção contra o novo coronavírus, usualmente recomendadas pelos órgãos de saúde, devem ser respeitadas: distanciamento entre as pessoas e uso de máscaras. Em Parintins, o Ministério Público fechou um acordo com os candidatos para que também não haja comícios nas campanhas. Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) foi assinado pelos candidatos, no qual eles se comprometem a respeitar regras sanitárias para evitar a proliferação da Covid-19. Estão proibidos quaisquer tipos de eventos que promovam aglomeração. Nas reuniões eleitorais em ambientes fechados ou abertos, é preciso limitar o número de pessoas, ter distanciamento social, uso de máscaras e alcool em gel. Os eventos devem ser comunicados à Justiça Eleitoral. Também está proibido o uso de fogos de artifício. As caminhadas públicas devem respeitar o número máximo de 15 pessoas e só podem ser feitas entre 9h e 19h, por conta do toque de recolher. O descumprimento do acordo, em Parintins, está sujeito a multas que podem chegar a R$ 150 mil, no caso de realização de comícios, e R$ 10 mil para as demais infrações. Governo do AM prorroga decreto que proíbe o funcionamento de bares e o acesso às praias Aumento de casos no interior Em coletiva de imprensa, a diretora-presidente da Fundação de Vigilância e Saúde (FVS-AM), Rosemary Pinto, explicou que, além de Manaus, o órgão identificou um aumento no número de infecções no interior do estado. Segundo a diretora, o aumento é fruto de atividades políticas que concentram aglomerações de pessoas. "Nós temos observado um aumento [no numero de casos] e remoções para Manaus. Alguns deles estão evoluindo com gravidade, indo a óbito, principalmente pessoas que tiveram algum tipo de exposição em comício, passeatas, ou pessoas que tiveram com quem esteve nesses locais", disse. O secretário executivo de atenção especializada ao interior, Cássio Espírito Santo, afirmou que, apesar das altas, o sistema de saúde do interior está com cerca de 5% de ocupação em leitos de Unidade de Cuidados Intensivos (UCI). Dos quatro mil leitos clínicos, 3.400 se encontram disponíveis para atender pacientes com Covid, de acordo com ele. *Com colaboração de Jean Beltrão e Rôney Elias, da Rede Amazônica. VÍDEOS: Funciona Assim - Eleições 2020

Animal estava em avançado estado de decomposição, segundo a prefeitura, que enviou uma equipe ao local para fazer a retirada e o enterro da tartaruga, nesta quarta-feira (28). Tartaruga foi encontrada morta na manhã desta quarta-feira (28) na praia de Maria Farinha, em Paulista Priscila Chaves Uma tartaruga foi encontrada morta nesta quarta-feira (28), na praia de Maria Farinha, em Paulista, no Grande Recife. Imagens enviadas ao WhatsApp da TV Globo mostram o animal na areia da praia. Ele estava em avançado estado de decomposição, de acordo com a prefeitura. A técnica de enfermagem Priscila Chaves registrou as fotos e contou que encontrou a tartaruga por volta das 8h, enquanto caminhava com a filha e o marido, no trecho próximo à praça da Avenida Rui Barbosa. "Acho que ela foi trazida pela correnteza durante a noite. Ontem passei por aqui e não vi", disse. Tartaruga foi retirada da praia de Maria Farinha, em Paulista, no Grande Recife Prefeitura de Paulista/Divulgação Em nota, a prefeitura informou que "foi enviada uma equipe da Secretaria de Obras da prefeitura para a praia em que o animal foi encontrado, para dar apoio com maquinário, fazer escavação, retirada e enterrar a tartaruga. Tendo em vista a contaminação por necrochorume, oriundo da carcaça em putrefação, foi feita, ainda, a remoção da areia no entorno do ponto onde foram encontrados os restos do cadáver". A gestão municipal disse não ser possível informar a espécie, o tamanho e o peso da tartaruga devido ao avançado estado de decomposição em que o animal foi encontrado. Outro caso Tartaruga aparece morta na areia da Praia de Boa Viagem Uma tartaruga-verde foi encontrada morta na praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. O animal era um macho adulto, tinha cerca de 0,98 metro de comprimento de casco e pesava entre 80 e 90 quilos, segundo a Brigada Ambiental do Recife (veja vídeo acima). Na data, o chefe da Brigada, Júlio Melo, explicou que não havia indícios da causa da morte da tartaruga e que não foi possível encaminhar o corpo para o local onde é feita a análise porque estava fechado, devido à pandemia da Covid-19. Vídeos mais vistos do G1 nos últimos 7 dias

Ele e os demais candidatos participaram do debate do Sindicato dos Servidores do Estado do Acre (Sinspjac) na manhã desta quarta-feira (28). Antes de debate, Bocalom (PP) fala sobre segurança econômica e social Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre O candidato do PP, Tião Bocalom, antes do debate do Sindicato dos Servidores do Estado do Acre (Sinspjac), falou sobre seus planos para assistência social. segundo ele, a ideia fortalecer ações para garantir apoio aos mais vulneráveis. “O principal disso tudo aí é que nossa secretaria de ação social trabalhará muito fortemente para que a gente possa melhorar a qualidade de vida das pessoas, especialmente as pessoas que hoje dependem do Bolsa Família. Precisamos pensar na sua casa, na segurança alimentar, que é muito forte isso daí e cuidar evidentemente das nossas crianças e jovens com uma boa educação e a geração de emprego e renda, que é fundamental para que a gente possa dar segurança econômica às famílias e segurança econômica significa segurança social”, pontuou. Além disso, o candidato falou em fortalecer ações na geração de emprego, cuidado ao idoso e à criança. “Não tenho dúvida nenhuma que nosso trabalho com creche vai ser muito forte, nosso trabalho com a educação das nossas crianças vai ser muito forte; o nosso trabalho de geração de emprego e renda será muito forte, que isso é social, o nosso trabalho com nossos idosos que dependem muito de orientações”, disse. À tarde, o candidato dá entrevista na TV Acre; caminhada na Rua Santa Inês (Concentração: Lanchonete ElShaday, entrada da rua Edmundo Pinto) - Bestene e Petecão; reunião com liderança no bairro Estação Experimental e reunião com liderança no Comitê Central - Bocalom, Bestene e Petecão. Colaborou Tálita Sábrina, da Rede Amazônica Acre. VÍDEOS: Candidatos resumem propostas em diferentes áreas

Ele e os demais candidatos participaram do debate do Sindicato dos Servidores do Estado do Acre (Sinspjac) na manhã desta quarta-feira (28). Minoru Kinpara fala em priorizar saúde da zona rural Tálita Sábrina/Rede Amazônica Acre Priorizar o atendimento de saúde na zona rural de Rio Branco foi uma das promessas defendidas pelo candidato a prefeito Minoru Kinpara (PSDB). Nesta quarta-feira (28), ele os demais candidatos participaram do debate do Sindicato dos Servidores do Estado do Acre (Sinspjac). “Precisamos com certeza ampliar o nosso atendimento nas unidades básicas de saúde. Saúde é um problema sério e essa pandemia evidenciou ainda mais isso, mas precisamos pensar a saúde não só na zona urbana, mas na zona rural, por isso nós temos. Por isso temos o programa ‘todos pela saúde’ que iremos até a zona rural com médicos, as especialidades, pediatria, ginecologia, com dentista para atender nossas crianças, fazer exames, acompanharmos com cronogramas estabelecidos. Cuidar da saúde da zona urbana e cuidar da saúde da zona rural: essa vai ser uma das prioridades do nosso governo”, garantiu. À tarde, o candidato ainda participa de carreata de inauguração do comitê central, se reúne com apoiadores e participa de reunião em bairros com candidatos a vereadores. Colaborou Tálita Sábrina, da Rede Amazônica Acre. VÍDEOS: Candidatos resumem propostas em diferentes áreas

Ela e os demais candidatos participaram do debate do Sindicato dos Servidores do Estado do Acre (Sinspjac) na manhã desta quarta-feira (28). Candidata Socorro Neri promete duplicar vias e modificar sistema de transporte coletivo em Rio Branco Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre A candidata a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB) prometeu apostar em ações na infraestrutura da cidade, transporte público e mobilidade urbana para melhorar a fluidez do trânsito da capital. “Há um conjunto de propostas tanto de realizarmos binário como duplicação de avenidas e ruas com mais fluxo, tanto instalarmos e implantarmos novos terminais de integração, modificando o sistema de transporte coletivo que hoje é chamado o sistema radial para o sistema tronco alimentado que já implantamos em dois terminais de integração. São ações, portanto, que vão nos ajudar a melhorar a mobilidade urbana da nossa cidade, garantindo mais conforto fluidez e segurança aos cidadão”, disse. À noite, ela participa de sabatina em um site de notícias. Colaborou Tálita Sábrina, da Rede Amazônica Acre. VÍDEOS: Candidatos resumem propostas em diferentes áreas

Vídeo afirma que imunizantes podem matar, e que só foram aplicados em animais. Testes feitos em milhares de voluntários, porém, não detectaram efeitos colaterais graves. Circula nas redes sociais um vídeo de um homem, que veste um jaleco de profissional de saúde, que afirma que os adjuvantes de vacinas para a Covid-19 (substâncias presentes nas fórmulas para potencializar a resposta imune do organismo) podem causar Alzheimer e fibromialgia. Ele diz ainda que os imunizantes em teste no Brasil só foram aplicados antes em animais. É #FAKE. G1 O homem mistura uma série de informações distorcidas ao citar as vacinas desenvolvidas pela empresa chinesa Sinovac, a CoronaVac, testada no Brasil pelo Instituto Butantan, e pela Universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, cujos estudos clínicos são tocados pela Universidade Federal de São Paulo. Especialistas ouvidos pela CBN contestam todo o conteúdo do vídeo, e frisam que a segurança das vacinas, que estão na fase 3 dos testes, é aferida já na etapa 1. Eles ressaltam que as pessoas que espalham esse tipo de afirmação falsa se valem do desconhecimento da população quanto às pesquisas que levam a vacinas. O homem que gravou o vídeo diz: “Se fosse uma vacina já pronta, ok. Mas não é. Presta atenção na enganação. Se você morre, vão dizer que foi placebo. Se der certo, eles dizem que foi da vacina. As vacinas foram testadas em ratos, camundongos e macacos, e agora vamos aplicar em todo o povo brasileiro (...) Placebo é um líquido que não é nada, é só pra identificar quem foi imunizado. Placebo não mata, foi a vacina”. O homem, que usa roupa de enfermeiro, se refere ao caso do médico do Rio de Janeiro João Pedro Feitosa, de 28 anos, voluntário do processo de desenvolvimento da vacina de Oxford, que morreu neste mês. A causa foi complicação por conta da Covid-19. Ele contraiu o coronavírus provavelmente trabalhando, já que atendia pacientes contaminados. E, segundo informações divulgadas pela TV Globo, o médico não havia tomado a vacina, e sim um placebo. Diferentemente das ilações feitas no vídeo, tanto a CoronaVac quanto a vacina de Oxford já foram aplicadas em milhares de voluntários no Brasil e no exterior – a CoronaVac, na China, na Turquia e na Indonésia; a de Oxford, na Inglaterra, nos Estados Unidos e na África do Sul –, sem que tenham sido encontrados efeitos colaterais graves. Ou seja, não é verdade que brasileiros são tratados como “cobaias”. Em outro trecho da gravação, o homem diz: “Estudem sobre adjuvantes de vacina e o mal que causam na população. Os adjuvantes podem causar Alzheimer, fibromialgia, uma série de doenças. As pessoas podem sofrer doenças genéticas. O vírus está sendo modificado geneticamente. A vacina não é feita do coronavírus, eles pegam o adenovírus, pegam a proteína do coronavírus e colocam; começam a vacinar e veem se dá certo”. Os adjuvantes não oferecem risco à saúde, explicam os médicos entrevistados pela CBN. Um dos pesquisadores que trabalham no ensaio clínico com a CoronaVac, o professor da Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo Esper Kallas explica que não há novidade no adjuvante usado nesta vacina. “O adjuvante da vacina do Butantan é o hidróxido de alumínio, utilizado há décadas e décadas em um grande número de vacinas. Nunca se demonstrou associação com Alzheimer, fibromialgia nem outras doenças. Foi o primeiro adjuvante que foi aprovado para uso em vacinologia e ajudou a estimular a resposta imune de diferentes vacinas”, esclarece o médico. Tampouco há embasamento científico para dizer que adjuvantes de outras vacinas possam causar esses quadros. O mal de Alzheimer e a fibromialgia têm origem desconhecida. O Alzheimer pode ser determinado geneticamente, e a fibromialgia, decorrer de quadros de estresse. “Os adjuvantes são usados tradicionalmente nas vacinas. Não tem nenhum composto anormal. E o placebo é só o adjuvante da vacina, sem o composto que faz a resposta humana. Não vejo sentido nisso tudo que foi misturado nesse vídeo”, diz Ralcyon Teixeira, diretor da divisão médica do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo. O homem que aparece nas imagens também diz que a CoronaVac pode gerar alteração do DNA humano – informação falsa que já circula há meses e que foi desmentida pela equipe do Fato ou Fake. Ele afirma que isso ocorre porque a vacina usa um adenovírus (tipo de vírus que causa doenças respiratórios, mas não a Covid-19), acrescido de uma proteína do coronavírus. Este é o mecanismo da vacina de Oxford, de fato, mas ele não resulta em risco de modificação genética em quem for vacinado. A tese não faz qualquer sentido à luz da ciência, já que a sequência genética humana não pode ser afetada assim. No caso da CoronaVac, esta nem sequer é a técnica usada. “A vacina do Butantan não utiliza adenovírus, é baseada em um coronavírus inteiro inativado. E não se pode afirmar que vacina pode matar. Até agora não teve nenhum caso de doença grave e efeito colateral grave associado à vacina nas milhares e milhares de pessoas que a usaram. É para isso que existem os estudos. Até agora o perfil de segurança da CoronaVac é muito bom”, ressalta Esper Kallas. Renato Kfouri, infectologista à frente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, também refuta o conteúdo do vídeo: “Adjuvantes são substâncias para potencializar a ação da vacina. Isso é usado há quase um século, geralmente hidróxido de alumínio ou algumas emulsões que têm essa capacidade. As vacinas de tétano, difteria, coqueluche, algumas da gripe, são adjuvantadas, e não há efeito colateral que leve a Alzheimer ou fibromialgia. A vacina de Oxford, como outras, usa adenovírus, que são modificados para não se reproduzir. E os estudos de segurança foram muito bem. Nenhuma vacina é capaz de matar. Os estudos têm todo o rigor científico. E se chegam à fase 3 é porque as vacinas são seguras. Se tivessem efeitos graves, não teriam seguido, para não oferecer risco aos voluntários”. O virologista Rômulo Neris, doutorando pela UFRJ, lembra que vacinas não têm a capacidade de modificar o nosso organismo nem causar doenças, uma vez que a função do imunizante é somente fornecer informação para o nosso corpo a respeito de algum agente que possa causar doenças no futuro. “Com isso, o nosso corpo consegue preparar uma resposta longa e específica, aumentando as nossas chances de não ser infectado ou de não ter a doença. A CoronaVac, por exemplo, tem dois ingredientes básicos: o vírus inativado (morto), que é a fonte de informação que nosso sistema imune precisa, e sais de alumínio, que são adjuvantes. Entre os adjuvantes mais utilizados, o hidróxido de alumínio é sem dúvida um dos mais seguros e mais comuns. Ele faz parte da maioria das vacinas disponíveis à população e é usado há pelo menos 90 anos. Desde então, estudos extensivos mostraram que o uso desses materiais nas concentrações encontradas em vacinas é muito inferior ao máximo tolerado por humanos e, por isso, eles não causam nenhuma doença”, explica o virologista. Neris continua: “Como a Gamaleya (vacina de origem russa), a de Oxford utiliza adenovírus como estratégia. Esse adenovírus não faz nada com humanos, porque ele é incapaz de se proliferar. Todo o material genético dele é deletado antes, e ele carrega material apenas com instruções pra fazer um pedacinho de apenas uma das proteínas do novo coronavírus. Ele precisa de uma dezena pra se multiplicar. Essa única produzida na vacina é suficiente apenas pra ser reconhecida e deixar nosso sistema imune preparado.” É #FAKE que substâncias presentes em vacinas para a Covid-19 podem causar Alzheimer e fibromialgia Reprodução Vídeo: Veja como identificar se uma mensagem é falsa Como identificar se uma mensagem é falsa VEJA outras checagens feitas pela equipe do FATO ou FAKE

Denúncias sobre compra de vagas na unidade já eram registradas pelo TJMG desde 2016. Naquele ano, a Vara de Execuções Penais alertou o MP sobre casos de corrupção. Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem Reprodução/TV Globo Depois que gestores e servidores da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, foram presos neste mês por aceitar propina para favorecer detentos, a reportagem da CBN identificou que o problema é antigo. Há denúncias de casos de corrupção registradas pela Justiça há pelo menos quatro anos. Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária de MG quer que pavilhões da Nelson Hungria sejam fechados Ex-diretor da penitenciária Nelson Hungria, suspeito de cobrar propinas, acumulou R$ 2 milhões de patrimônio em Minas Denúncias sobre compra de vagas na unidade já eram registradas pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) desde 2016. Naquele ano, a Vara de Execuções Penais alertou o Ministério Público do estado sobre possíveis casos de corrupção na unidade. Neste mês, quatro anos depois, a Polícia Federal (PF) prendeu o ex-diretor do presídio Rodrigo Malaquias e outros servidores exatamente pelos crimes que foram relatados em 2016: por receber propina para garantir vantagens a alguns detentos, por meio de transferências para celas com mais liberdade. Ex-diretor da Penitenciária Nelson Hungria recebia até tratamento de beleza como propina O juiz de da Vara de Execuções Criminais, Wagner Cavalieri, contou à CBN que as denúncias vinham de fontes diversas. "A Vara de Execuções sempre recebe muitas informações de advogados, dos próprios presos, de servidores, de familiares de presos, ou mesmo através de outros mecanismos de busca de informações. Quando há uma denúncias de cometimento de crime dentro de uma unidade, essas informações são repassadas para quem tem a obrigação de investigar. Porque a Vara de Execuções não tem esse caráter investigatório". Mas a Vara de Execuções Criminais pode, sim, tomar medidas administrativas ao receber informações sobre problemas de funcionamento nas prisões. No ano passado, o órgão interditou a Nelson Hungria, após receber denúncias graves sobre falta de segurança na unidade. Conforme a determinação, a prisão ficou proibida de receber novos detentos. O espaço tem 1.640 vagas, mas abriga mais de 2 mil presos. Em maio deste ano, Cavalieri decidiu autorizar a penitenciária a voltar a receber detentos por causa da pandemia. Era necessário reduzir o número de pessoas nas celas do sistema carcerário mineiro como um todo. Entretanto, as medidas que eram necessárias para garantir a segurança no complexo não foram tomadas, de acordo com a Justiça. A Vara de Execuções Criminais havia definido que era preciso instalar um bloqueador de celular. Ainda conforme o órgão, o circuito de câmeras da penitenciária não estava funcionando até maio porque o governo do estado não estava pagando o fornecedor do serviço. Mas o maior problema ainda está por vir. Segundo o TJMG, até fevereiro do ano que vem a penitenciária vai perder 200 dos cerca de 500 policiais penais que fazem a segurança do espaço. Isso porque os contratos vão acabar e o estado não lançou nenhum edital para repor os profissionais. O juiz afirma a falta de segurança dentro da prisão gera crimes fora dela. "As medidas para pelo menos mitigar esses problemas já foram exaustivamente citadas pela Vara de Execuções. Dentre elas a instalação de bloqueador de celular para impedir que os presos continuem comandando crimes como queima de ônibus, sequestros de gerentes de banco, homicídios, tráfico de drogas. Isso é inadmissível. Outra medida extremamente importante e urgente é a recomposição dos quadros dos policiais penais. Se você não tem o efetivo suficiente dentro da unidade prisional, tudo fica comprometido". Atualmente não é possível manter os policiais penais na Nelson Hungria porque uma decisão do TJMG considerou essas contratações inconstitucionais. A CBN fez contato com a Secretaria de Estado e Segurança Pública, que administra as penitenciárias, e aguarda um posicionamento sobre uma possível resolução para esses problemas. Veja os vídeos mais vistos do G1 Minas na semana:

Com uma ordem judicial, policiais da Dise revistaram residência da Vila do Bosco e encontraram os entorpecentes. Casal foi preso após polícia apreender porções de crack, maconha e cerca de R$ 10 mil em Itapeva (SP) Polícia Civil/Divulgação Um casal foi preso depois que policiais civis encontraram porções de crack, maconha e cerca de R$ 10 mil na manhã desta quarta-feira (28), em uma casa da Vila Dom Bosco, em Itapeva (SP). De acordo com as informações da Polícia Civil, com uma ordem judicial, policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) revistaram o local e encontraram as drogas e o dinheiro. O material foi apreendido e o homem, de 28 anos, e a mulher, de 21, foram presos e encaminhados à delegacia, onde permaneceram à disposição da Justiça. Casal foi preso após polícia apreender porções de crack, maconha e cerca de R$ 10 mil em Itapeva (SP) Polícia Civil/Divulgação Veja mais notícias no G1 Itapetininga e Região

Desde março, os estudantes do Paraná tiveram que se adaptar à rotina das aulas online. O que os pais devem observar no contrato de rematrículas Desde março, os estudantes do Paraná tiveram que se adaptar à rotina das aulas online. O ano letivo está no fim, e a volta às aulas presenciais ainda não têm data para acontecer. Mas, chegou a gora de rematricular os filhos nos colégios particulares, e muitos pais têm dúvida sobre mudanças para 2021. Governador do Paraná diz que aulas presenciais da rede estadual podem voltar em novembro Pedagogo de Curitiba faz curso gratuito para ajudar professores com aulas online e alcança quase 70 mil pessoas Professora relata preocupação com as crianças em meio à pandemia: 'Foi tirado de repente a infância, a escola, a liberdade' Ensino remoto no Paraná: governo fala em sucesso; professores questionam qualidade da aprendizagem dos alunos Reajuste de 30% Rodrigo, de oito anos, todos os dias estuda no computador. São entre 40 minutos e uma hora e meia de aulas online. Nesse período da pandemia, a escola privada onde ele estuda deu um desconto na mensalidade de 20%. Mas, na rematrícula para 2021, o valor veio 10% mais alto do que a mensalidade normal. Ou seja, 30% a mais do que os pais dele estão pagando agora. "A única coisa que eles colocaram de adendo no contrato foi que a criança tem que levar três máscaras, o lanche individual, a garrafa individual, essas coisas da pandemia mesmo que vão começar a ser inseridas nas escolas quando voltar. Mas em relação à redução dos valores pagos para o ano que vem, ainda não houve discussão", disse Marcela Villatore da Silva, mãe do Rodrigo. Com pandemia, crianças estão tendo aulas online no Paraná Reprodução/RPC Qual é a orientação? O professor de direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Luiz Daniel Haj Mussi explicou que as escolas não são obrigadas a manter os descontos nas mensalidades para o ano que vem, diante de uma situação de tantas incertezas. Ainda não se sabe quando as aulas presenciais serão retomadas. Ele orientou os pais a negociar diretamente com as escolas. "Ela [a escola] não sabe se as aulas presenciais vão voltar ou não, se ela terá custos adicionais para organizar um sistema de ensino híbrido ou qualquer outro evento que possa surgir em razão dessa situação de pandemia. Não há nenhum dever da escola em manter esse desconto. O que a escola tem que fazer é apresentar essa planilha detalhadamente para os pais dos alunos para explicar a razão de eventuais aumentos ou correções da matrícula. Isso não vai considerar os descontos atuais", afirmou o especialista. Além disso, para o professor de direito empresarial, nos casos de pais com mensalidades atrasadas, a escola pode se recusar a fazer a rematrícula. Porém, não pode impedir que os estudantes concluam o ano letivo de 2020. "A rematrícula pode ser recusada pela instituição de ensino em razão de eventual inadimplência, mas apenas para o ano seguinte. Os débitos do ano anterior, ou seja, no ano em que está ocorrendo a inadimplência, não pode ter limitação para que o aluno frequente atividade escolar. Esse é um direito assegurado aos alunos, é muito claro na lei que disciplina a matéria", afirmou Mussi. Negociação coletiva A coordenadora do Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) no Paraná, Cláudia Silvano, explicou que a negociação do valor das mensalidades pode ser feita coletivamente entre grupos de pais e os colégios. "Nós estamos em um momento atípico em que não há resposta fácil. Todos os cenários são complicados. Talvez uma negociação para que esse pai permaneça, um parcelamento do débito incluindo esses valores na mensalidade, seja a melhor saída. Por isso que é importante e a gente aconselha que os pais não façam essas negociações individualmente, que se reúnam todos os pais, busquem a direção da escola, coloquem a situação, escolham um pai para representar, enfim, aquele grupo de pais de alunos e negociem com as escolas", afirmou Cláudia Silvano. O que diz o Sinepe? O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná (Sinepe) esclareceu que cada escola possui autonomia para definir as questões contratuais alusivas aos serviços que são ofertados a seus contratantes e que busca levar ao conhecimento de seus associados as questões legais mais latentes referentes às atividades escolares. Contudo, não pode ingerir nas políticas que são efetivamente adotadas por cada escola. Veja mais notícias no G1 Paraná.