Simule e contrate

G1

Medida entraria em vigor nesta terça-feira (26). Secretário Carlos Lula disse que atende a manifestações de segmentos do setor. Após divulgar a suspensão de eventos de pequeno porte em todo o Maranhão, o governo estadual voltou atrás e disse que não tomará mais a medida. Em uma postagem nas redes sociais, o secretário de Saúde, Carlos Lula, disse que a decisão foi tomada diante de manifestações do segmentos de eventos. "Dialogaremos com os envolvidos e o Ministério Público ao longo da semana para deliberar sobre o assunto", disse o secretário. A suspensão dos eventos de pequeno estaria valendo a partir desta terça-feira (26) e duraria 14 dias, como forma de conter o avanço da pandemia de Covid-19. Nesta segunda (25), a ocupação de leitos de UTI exclusivos para Covid na Grande São Luís chegou a 82% e 93% em Imperatriz. Outras medidas anunciadas nesta segunda-feira: O aumento da oferta de leitos em hospitais de referência do estado para pacientes com Covid-19; Suspensão, por duas semanas, até 50% da capacidade, as cirurgias e consultas eletivas na rede estadual de saúde. Aumento de leitos Por conta do aumento no número de internações em enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTI), serão implementados novos leitos para pacientes com Covid-19 em hospitais de referência para a doença em São Luís e em municípios do interior do estado. Carlos Lula explicou que o aumento no número de leitos é resultado do crescimento elevado nas taxas de ocupação. Segundo o secretário, os números registrado nos últimos dias no estado, é semelhante aos que foram notificados durante o mês de junho de 2020, período crítico da pandemia no Maranhão. "Nas últimas semanas tivemos uma aceleração muito grande no número de internações, muito grande mesmo, considerável. Então, as cidades de São Luís, Santa Inês, Pinheiro, Balsas e Imperatriz atingiram taxas críticas de ocupação de seus leitos, o que a gente não via há muito tempo. Os dados da regulação de leitos apontam que o número de leitos solicitados, seja de enfermaria ou seja de UTI, remete a dados que tínhamos no mês de junho do ano passado. Então, de fato, tivemos um crescimento no número de casos", disse Lula. Em São Luís, o Hospital Dr. Carlos Macieira vai voltar a atender casos exclusivos de internação para o novo coronavírus. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), desde agosto, a unidade tinha 11 leitos de UTI para a doença e por conta do aumento de internações, o hospital chegou a 60 leitos exclusivos para a Covid-19. Serão inaugurados, em 1º de fevereiro, mais 50 leitos no Hospital Aquiles Lisboa, no bairro Vila Nova. Já em Imperatriz, vão ser abertos mais 11 leitos no Hospital Macrorregional a partir de terça-feira (26). E a partir de terça, o Hospital Regional de Santa Luzia do Paruá, no interior do estado, vai passar a receber pacientes com Covid-19 vindos de Pinheiro e Santa Inês. Atendimento de casos de Covid-19 A secretaria também anunciou uma mudança, a partir dessa terça-feira (26), no sistema da rede de atendimento aos pacientes com Covid-19, para conseguir atender a demanda da procura pelos serviços de saúde. Na Grande Ilha de São Luís, as unidades mistas e Unidades Básicas de Saúde (UBS), vão continuar atendendo casos leves de Covid-19 e os hospitais do estado, devem atender casos moderados a grave. Veja como deve ficar: UPA do Parque Vitória e Vinhais: passam a ser exclusivas para atendimento de pacientes com Covid-19, com casos moderados a graves; UPA do Itaqui-Bacanga, Araçagy e Policlínica do Cohatrac: vão atender somente pacientes que não estão com Covid-19; UPA Cidade Operária e de Paço do Lumiar: vão atender os dois tipos de caso, ou seja, pacientes com sintomas de Covid-19 ou sem sintomas. Os hospitais Genésio Rêgo, Dr. Carlos Macieira, Raimundo Lima, HCI e Presidente Dutra passam a atender, exclusivamente, pacientes com Covid-19 que apresentem quadro clínico de moderado a grave.

MPMG abriu um procedimento para apurar eventual descumprimento dos planos Nacional e Estadual de Vacinação pelo município. Doses da Coronavac Reprodução/EPTV A Prefeitura de Cataguases entregou documentos pedidos pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) após um procedimento ser instaurado para apurar um eventual descumprimento dos planos Nacional e Estadual de Vacinação contra a Covid-19 pelo município. Em contato com o MG2, a Administração também garantiu que até a sexta-feira (29) vai enviar informações sobre quais os profissionais de saúde serão vacinados. O município recebeu 689 doses da CoronaVac. Apuração De acordo com o MPMG, o objetivo é apurar se pessoas que não se enquadram no grupo prioritário, eleito pelas autoridades sanitárias, foram beneficiadas com a imunização. Segundo o documento, a Administração tinha 24 horas para enviar as seguintes comprovações: Encaminhar a relação de pessoas que já foram ou serão imunizadas, indicando o nome completo e qual o grupo prioritário pertence; Informar quantas doses foram destinadas a cada grupo prioritário; Explicar se foi possível vacinar todos os idosos em Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI); Dizer se as doses aplicadas foram informadas no Sistema Nacional de Imunizações. Na ocasião, o MPMG ainda informou que está à disposição da população para receber novas denúncias, relacionadas à vacina ou não, pelos seguintes canais: telefone 127, site do órgão ou pelo e-mail [email protected] Initial plugin text

Nas últimas 24 horas, no estado, foram registrados 426 novos casos e oito óbitos pela doença, segundo o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) nesta segunda-feira (25). Laboratório realiza teste de Covid-19 Ítalo Ricardo/ Governo de Rondônia O Piauí chegou a 156.149 casos confirmados e a 3.020 mortes por Covid-19, distribuídas em 205 municípios. Até agora, morreram 1.767 homens e 1.253 mulheres. Nas últimas 24 horas, no estado, foram registrados 426 novos casos e oito óbitos pela doença, segundo o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) nesta segunda-feira (25). Dos 426 casos confirmados da doença, 235 são mulheres e 191 homens, com idades que variam de um a 99 anos. Sete mulheres e um homem não resistiram às complicações da Covid-19. Elas eram das cidades de Curimatá (79 anos), Landri Sales (61 anos), Palmeirais (63 anos), Parnaíba (59 anos), São Raimundo Nonato (82 anos) e Teresina ( 85 e 88 anos). Já a vítima do sexo masculino era de Antônio Almeida (88 anos). Apenas uma das vítimas (82 anos) não possuía comorbidades. A Sesapi estima que 152.659 pessoas já estão recuperadas ou seguem em acompanhamento (casos registradas nos últimos 14 dias) que não necessitaram de internação ou evoluíram para morte. VÍDEOS: assista às notícias mais vistas do G1 Piauí
Município recebeu mais dois resultados positivos e as confirmações subiram para 470. Junqueirópolis contabiliza 14 mortes provocadas pela Covid-19. O município recebeu mais dois resultados positivos e as confirmações subiram para 470. Registros suspeitos são 89 e já curados 404. Initial plugin text Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Entre os armamentos apreendidos no sítio da família estavam espingardas, rifle e revólver. Armas estavam armazenas em duas casas e parte enterrada em matagal no Ceará Divulgação/PMCE Um pai e seus dois filhos foram autuados por posse ilegal de arma de fogo após serem flagrados com nove armas durante uma ação da Polícia Militar, neste domingo (24), em Aiuaba, no interior do Ceará. O material estava armazenado em duas casas e em um matagal, onde eles escondiam parte do armamento. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, após receber denúncia sobre a comercialização de armas na região, os militares chegaram à casa suspeita e foram recebidos por uma mulher que autorizou a entrada dos agentes. Durante a vistoria, foram encontradas sete espingardas, além de um revólver, um rifle, cerca de 200 munições intactas e deflagradas, 19 tubos de pólvora e cinco de chumbo e três balaclavas. Todos foram levados para Delegacia Regional de Tauá, onde a ocorrência foi registrada e onde os três homens foram autuados com base no estatuto do desarmamento. Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 minuto

Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Paraná.
Participe com Aline Ferreira, usando #JAP1 ou pelo número (96) 99112-6310. Assista ao JAP1 desta terça-feira Participe com Aline Ferreira, usando #JAP1 ou pelo número (96) 99112-6310. O G1 transmite ao vivo, diariamente, os telejornais Jornal do Amapá - 1ª edição, às 12h, e o Jornal do Amapá - 2ª edição a partir de 19h10.. De terça à sexta-feira, o portal também transmite o quadro de entrevistas G1 na Rede, a partir de 13h30.

Na primeira semana, os professores estarão nas escolas e os alunos, em casa. A partir de 1º de março, começará a volta presencial. Mas retorno será facultativo, ou seja, responsáveis decidem se alunos irão ou não para a escola. Aulas em Vitória voltam de forma híbrida em 22 de fevereiro Flávio Almeida/PMV As aulas na rede municipal de ensino de Vitória vão ser retomadas no dia 22 de fevereiro em formato híbrido, ou seja, alternando entre as modalidades presencial e remota. Na primeira semana, os professores estarão nas escolas e os alunos, em casa. A partir de 1º de março, começará o retorno presencial dos alunos às escolas, que acontecerá em regime de revezamento semanal, gradual e em etapas. O revezamento será feito de acordo com as normas da portaria conjunta das secretarias de Estado de Saúde (Sesa) e de Educação (Sedu), cuja regra é a alternância semanal, em que cada turma é dividida em 50% de estudantes em estudos presenciais e 50% em estudos não presenciais, por meio da plataforma AprendeVix. Veja o calendário do retorno presencial: 1º de março: retornam às escolas alunos do Ensino Fundamental 2, do 6º ao 9º ano 15 de março: retornam os alunos do Ensino Fundamental 1, do 1º ao 5º ano 29 de março: retornam as turmas de 4 e 5 anos nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) O retorno das aulas será facultativo, ou seja, os pais ou responsáveis pela criança é que vão decidir se ela irá ou não para a sala de aula. Em relação aos estudantes de 0 a 3 anos, a Seme fará a avaliação constante do retorno dos alunos maiores para analisar como será possível retornar com os pequenos. "Nesse período, a secretaria será responsável pelo acompanhamento de uma plataforma unificada, com propostas de atividades, brincadeiras e dicas semanais", explicou a secretária de Educação de Vitória, Juliana Rohsner. Segurança De fevereiro até março, a prefeitura vai adequar os espaços físicos aos protocolos de biossegurança, para fazer as instalações e modificações necessárias ao retorno seguro das crianças ao espaço escolar. "Os protocolos para o retorno foram formulados junto à Secretaria de Saúde (Semus), buscando sempre a segurança tanto dos nossos alunos quanto dos nossos profissionais", destaca a secretária. Os equipamentos de proteção individual (EPI´s), como máscaras, protetor facial e jalecos, além de álcool em gel e sabonete líquido, estão em processo de aquisição pela Secretaria de Educação. VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo
Assista aos jornais da TV Bahia

Em Guararapes (SP), o Ministério Público também pediu explicações à prefeitura sobre a vacinação do provedor da Santa Casa. Segundo a promotoria, Adriano Veanholi não atua na linha de frente, mas, mesmo assim, recebeu a primeira dose da vacina. Caixa com doses da CoronaVac Moniele Nogueira/TV TEM A Polícia Federal de Jales (SP) instaurou inquérito para apurar se moradores receberam a primeira dose da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, sem fazer parte dos grupos prioritários incluídos na primeira etapa da vacinação. De acordo com o Plano Nacional de Imunização, profissionais da área da saúde que atuam na linha de frente contra a doença, idosos e deficientes institucionalizados e povos e comunidades tradicionais quilombolas devem ser vacinadas neste primeiro momento. Em Guararapes (SP), o Ministério Público também pediu explicações à prefeitura sobre a vacinação do provedor da Santa Casa. Segundo a promotoria, Adriano Veanholi não atua na linha de frente, mas, mesmo assim, recebeu a primeira dose da vacina. O prazo para a prefeitura responder é de 15 dias. Em nota, a explicação da prefeitura foi que a instrução da Vigilância Epidemiológica do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Araçatuba (SP) foi para vacinar todos os trabalhadores da área da saúde, incluindo os que exercem função administrativa. Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba VÍDEOS: mais assistidos da região i

Médicos enviaram manifesto ao MP, questionando os critérios de vacinação da prefeitura, que excluiu profissionais dos centros de saúde. Ministério Público cobra mais transparência nos planos de vacinação em BH Divulgação O Ministério Público investiga denúncias de pessoas furando a fila da prioridade na hora de receber a vacina da Covid-19 em Belo Horizonte. Os promotores de Justiça podem exigir dos gestores municipais mais transparência nos planos de vacinação. Doses das vacinas contra Covid-19 aplicadas em Belo Horizonte vão ser auditadas, diz prefeitura "Essas pessoas que descumprem a ordem de prioridade, sobretudo do servidores públicos envolvidos nesse processo, podem ser punidos administrativamente. Também podem sofrer sanções por ato de improbidade administrativa e sanções criminais. A depender do caso determinados crimes podem ser configurados, como crime de peculato, eventualmente crimes da lei de abuso de autoridade. Mas é preciso que a gente tenha o devido processo legal, que se ouça a pessoa que foi vacinada, o servidor público que ministrou a vacina para a gente entender o que aconteceu”, disse o promotor de Justiça Luciano Moreira. A investigação começou depois que um grupo de médicos encaminhou um manifesto questionando os critérios de vacinação da prefeitura de Belo Horizonte que excluíram, por exemplo, os profissionais dos centros de saúde. “A própria prefeitura de Belo Horizonte apresenta números em que a maior parte dos funcionários da prefeitura, da área da saúde, que adoeceram por Covid, trabalhavam na atenção primária a saúde. E infelizmente não foi a prioridade no primeiro momento”, afirmou o diretor administrativo do Sindicato dos Médicos André Cristiano dos Santos. Uma profissional, que não quis se identificar, questiona por que o Centro Oftalmológico, que atende consultas e emergências, recebeu as doses. “Eu, como uma profissional da área de saúde, gostaria de deixar isso aqui bem claro: este hospital, no qual os funcionários estão recebendo esta vacina e ainda estão postando nas redes sociais, são profissionais que não trabalham na linha de frente. Como eles estão conseguindo esta vacina e sendo que vários colegas meus de trabalho que estão na linha de frente ficaram sem receber essa vacina?” O Centro Oftalmológico diz que é referência no atendimento de pacientes com complicações nos olhos causada pela Covid. E que aplicou todas as 400 doses recebidas da prefeitura. A prefeitura de Belo Horizonte informou que as primeiras doses da Coronavac, do Instituto Butatan, em parceria com o laboratório chinês Sinovoc não são suficientes para o grupo prioritário. A administração municipal afirmou que os imunizantes foram distribuídos a 49 hospitais da rede pública, filantrópica e privada, além de nove unidades de pronto-atendimento e Samu. A administração municipal informou, ainda, que segue as diretrizes estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde. E que, nesta primeira leva, considerou os trabalhadores em atividade de hospitais, UPAS e Samu, em função do maior risco de contaminação. Veja os vídeos mais assistidos nos últimos 7 dias no G1 Minas:

Após denúncias, equipes de fiscalização realizaram vistorias em mais de 80 locais, entre bares, restaurantes, clubes e quadras poliesportivas. Catedral em Juiz de Fora Roberta Oliveira/G1 A Prefeitura de Juiz de Fora confirmou ao G1 nesta segunda-feira (25), que notificou a Arquidiocese de Juiz de Fora, na última sexta-feira (22), por uma aglomeração ocorrida ao fim de uma carreata. Durante o fim de semana, o Executivo também realizou a "Fiscalização pela Vida" e emitiu autos de infração para 30 estabelecimentos por descumprimento de normas sanitárias. Veja abaixo mais informações. Carreata Em nota, a Prefeitura ressaltou que "as notificações emitidas, em função da inobservância dos protocolos sanitários de controle à pandemia, tem como objetivo orientar e engajar toda a sociedade na luta contra o coronavírus". A Administração também explicou que é dever "fiscalizar, orientar, preventivamente ou repressivamente, a conduta para garantir o cumprimento da lei em vigor, para não lesar ou ameaçar a coletividade ou bem-geral". Ainda segundo o Executivo, a "Fiscalização pela Vida" seguirá trabalhando primordialmente com intenção pedagógica e, nos casos reincidentes e de grave infração, haverá as penalidades previstas. Já em contato com o G1, a Arquidiocese esclareceu que a notificação da Prefeitura foi recebida pela Cúria Metropolitana na última sexta-feira. "A referida atividade religiosa, respaldada na lei municipal, foi autorizada e acompanhada pela Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra). A Arquidiocese, estranhando a iniciativa da Prefeitura, analisará a questão e definirá a postura a ser tomada", informou. Apesar da Onda Vermelha, carreatas são permitidas na cidade desde que não causem aglomerações. Fiscalização Fiscalização pela Vida é realizada no fim de semana em Juiz de Fora Prefeitura/Divulgação Durante o fim de semana, a Blitz da "Fiscalização pela Vida" vistoriou diversos estabelecimentos comerciais em todas as regiões da cidade. De acordo com a Prefeitura, bares e restaurantes foram vistoriados. Os locais só podem funcionar em esquema de delivery, já que a Onda Vermelha do "Minas Consciente" não permite o consumo interno. Também foram atendidas denúncias em clubes e quadras poliesportivas. Dos 84 estabelecimentos vistoriados, foram emitidos 30 autos de notificação e quatro de infração. As ações de "Fiscalização pela Vida" ocorrem em parceria das Secretarias de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaur), Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc), Secretaria de Transportes e Trânsito (Settra) e Polícia Militar (PM). Quem quiser fazer alguma denúncia pode entrar em contato através do (32) 3690-7984. Initial plugin text

Imunizante chega ao GVE de Campinas entre esta segunda (25) e terça-feira (26), diz estado. Distribuição segue a logística da operação com a CoronaVac, realizada na semana passada. Vacina de Oxford/AstraZeneca deve chegar entre segunda (25) e terça-feira (26), diz estado Heudes Regis/Divulgação O governo estadual iniciou a distribuição de 44,9 mil doses da vacina de Oxford contra a Covid-19 destinadas ao Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de Campinas (SP). Segundo a administração, o imunizante chega à região entre esta segunda (25) e terça-feira (26). Oxford x CoronaVac: o raio-X das vacinas aprovadas pela Anvisa Especialistas da EPTV tiram dúvidas sobre a vacinação A distribuição, que começou no início da manhã, segue a logística da operação com a CoronaVac, realizada na semana passada. O governo de São Paulo, porém, não especificou quantidade de doses enviadas para cada um dos municípios que compõem o GVE. O envio ocorre após a chegada do primeiro carregamento com dois milhões de doses produzidas no Instituto Serum, na Índia. Ao todo, o estado recebeu 501 mil doses do imunizante desenvolvido em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca. Estado iniciou nesta segunda-feira (25) a distribuição da vacina da Fiocruz (Oxford/AstraZeneca) contra a Covid-19 Governo do Estado de São Paulo Vacinação na metrópole Em Campinas, 9,5 mil profissionais da área da saúde haviam recebido a dose da CoronaVac, primeira vacina a chegar na metrópole, até a manhã desta segunda. A primeira aplicação no interior de SP aconteceu no dia 18 de janeiro, no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp. Veja detalhes da vacinação em Campinas Três dias depois, a prefeitura recebeu uma carga de imunizantes e iniciou a aplicação das doses na Rede Mário Gatti, que administra os dois hospitais públicos e as UPAs do município, e na rede privada. Para a prefeitura de Campinas, o estado enviou 24,9 mil doses. A previsão é imunizar 15 mil trabalhadores. O HC da Unicamp, por sua vez, recebeu 4 mil. Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Estado recebeu 3ª remessa de vacinas contra Covid-19. Lote com 12.500 doses da CoronaVac desembarcou na tarde desta segunda (25) no Aeroporto Zumbi dos Palmares. O governador Renan Filho disse, nesta segunda-feira (25), que os profissionais da Educação serão vacinados contra a Covid-19 logo após os profissionais de saúde e os grupos de idosos. O objetivo é iniciar o ano letivo da rede pública em março, seguindo os protocolos sanitários. “O Estado está programado para voltar em março, na semana após o Carnaval, entretanto vamos avaliar até lá como estarão a campanha de imunização e a própria pandemia para que a gente possa garantir o retorno seguro a alunos, professores e aos demais profissionais da educação”, disse o governador. Alagoas recebeu, nesta segunda (25), a terceira remessa de vacinas contra a Covid-19. Foi o segundo lote da CoronaVac com 12.500 doses que serão destinadas aos profissionais da saúde, priorizando aqueles que estão na linha de frente do combate à Covid-19. A distribuição desse lote para os municípios deve começar nesta terça (26). “Vamos seguir com o mesmo público, vacinando os profissionais de saúde e, até amanhã [terça], avaliaremos se a gente amplia aos grupos de idosos”, disse o governador Renan Filho. Lotes recebidos O primeiro lote da CoronaVac, com 87.760 doses, chegou a Alagoas no dia 18 de janeiro. Deste total, 25.130 doses foram entregues pelo Governo do Estado aos 102 municípios alagoanos. A divisão ocorreu com base em um cálculo que seguiu a representatividade dos trabalhadores da saúde de cada uma das cidades. Já haviam sido vacinados com a primeira dose da CoronaVac, 16.409 profissionais da saúde em todo o estado. Na madrugada de domingo (24), chegou a Alagoas o segundo lote de vacinas, desta feita da Oxford/Astrazeneca. As 27.500 doses deste imunizante terão como prioridade a aplicação em idosos a partir dos 85 anos de idade. A distribuição começa nesta terça-feira (26). Veja os vídeos mais recentes do G1 Alagoas Veja mais notícias da região no G1 Alagoas

Estado já recebeu 248 mil doses de vacina contra a Covid-19 para imunizar o grupo prioritário nesta primeira etapa da campanha. Vacina contra Covid-19 enviadas para Goiás Reprodução/TV Anhanguera A segunda remessa com 29,9 mil de doses da CoronaVac chegou na noite desta segunda-feira (25) a Goiânia. Até o momento, o estado recebeu 248.530 doses das vacinas. Foram 183.030 doses da CoronaVac e 65,5 mil da Oxford. Com a chegada dessas doses, o número salta para 278.430. A campanha de imunização está vacinando o grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde: Profissionais da saúde da linha de frente ao combate à Covid-19; Pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas); Pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência e residentes em Residências Inclusivas (institucionalizadas); População indígena vivendo em terras indígenas. Até o início da tarde desta segunda-feira (25), uma semana após o início da vacinação contra a Covid-19 em Goiás, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) ainda não divulgou a quantidade de pessoas que receberam as doses devido a um problema no portal do Ministério da Saúde. A reportagem entrou em contato com o Ministério da Saúde por e-mail às 12h41 para pedir um posicionamento sobre a instabilidade na plataforma citada pela (SES-GO) e aguarda retorno. O G1 e a TV Anhanguera apuraram com algumas das maiores cidades do estado o número de vacinados até domingo (24). No total, mais de 19 mil pessoas já receberam a primeira dose da CoronaVac nesses municípios. Em Formosa, no Entorno do Distrito Federal, todas as vacinas foram aplicadas. Confira o balanço: Goiânia - 6.233 doses aplicadas de 30.160 recebidas Aparecida de Goiânia - 4.469 doses aplicadas de 7,2 mil recebidas Anápolis - 1.200 doses aplicadas de 5.960 recebidas Porangatu - 267 doses aplicadas de 340 recebidas Luziânia - 640 doses aplicadas de 1,3 mil recebidas Rio Verde - 1.908 doses aplicadas de 3,6 mil recebidas Jataí - 632 doses aplicadas de 1.180 recebidas Catalão - 1.044 doses aplicadas de 1,1 mil recebidas Itumbiara - 1.498 doses aplicadas de 1.990 recebidas Formosa - Todas as 1.490 doses recebidas já foram aplicadas De acordo com a SES, há pouco mais de 87 mil pessoas nesses grupos. A pasta informou que os profissionais que atuam na linha de frente ao combate à Covid-19 representam 34% de todos os mais de 200 mil trabalhadores da área, mas que todos devem ser vacinados à medida que chegarem mais doses. Governador Ronaldo Caiado aplica dose da vacina contra a Covid-19 na primeira goiana imunizada em Goiás Reprodução/TV Anhanguera VÍDEOS: Coronavírus em Goiás

No restante dos dias e horários, os ônibus circulam nos horários normais. Medida passa a valer na terça-feira (26), informou a prefeitura. Ônibus da SOU Limeira estacionado na garagem Divulgação/Prefeitura A Prefeitura de Limeira (SP) informou que os ônibus do transporte coletivo terão frota reduzida no período noturno e aos fins de semana, por conta da fase vermelha do Plano São Paulo. A região está na fase laranja e na última sexta-feira (22) o governo anunciou que aos fins de semana e no período das 20h às 6h dos dias úteis todo o estado fica em fase vermelha, em que só serviços essenciais podem funcionar. Por conta disso, nos horários e dias que a cidade estiver na fase vermelha haverá essa redução. A medida passa a valer nesta terça-feira (26), sempre das 20h às 5h nos dias úteis. Entre 5h e 20h, os horários continuam como já são atualmente. Já aos fins de semana, os coletivos vão rodar com escala de domingos e feriados. As linhas com os novos horários podem ser consultadas no site da Sou Limeira.

Número total de mortes subiu para 7.232, com mais 86 óbitos provocados pela doença. Cemitério do Tarumã, em foto de 25 de janeiro de 2021 Altematr Alcantara - Semcom Passa de 250 mil o número de casos confirmados de Covid-19 no Amazonas. Segundo o boletim da Fundação de Vigilância em Saúde desta segunda-feira (25), houve 1.222 novos registros de pessoas com a doença, totalizando 250.935 casos no estado. O número de mortes subiu para 7.232, com mais 86 óbitos provocados pela doença. Do total, 56 mortes ocorreram nas últimas 24 horas e 30 falecimentos foram registrados em dias anteriores, mas confirmados agora. TOQUE DE RECOLHER: Veja o que pode funcionar em Manaus JÁ VACINADOS: Prefeitura divulga nomes e cargos de quem recebeu dose Internações Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 1.924 pacientes internados, sendo 1.258 em leitos (524 na rede privada e 734 na rede pública), 624 em UTI (287 na rede privada e 337 na rede pública) e 42 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde. Há ainda outros 499 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 405 estão em leitos clínicos (86 na rede privada e 319 na rede pública), 60 estão em UTI (34 na rede privada e 26 na rede pública) e 34 em sala vermelha. O boletim diário é construído com as informações disponibilizadas diariamente pelas prefeituras municipais, todos os dias da semana, incluindo fins de semana e feriados. Ao todo, dois municípios não atualizaram o sistema de informação para consolidação dos dados do boletim. São eles: Borba e Nova Olinda do Norte. Casos confirmados Dos 250.935 casos confirmados no Amazonas até esta segunda-feira (25), 110.689 são de Manaus (44,11%) e 140.246 do interior do Estado (55,89%). Além da capital, os 61 municípios têm casos confirmados: Coari (8.760); Parintins (7.908); São Gabriel da Cachoeira (5.987); Manacapuru (5.683); Tefé (5.667); Humaitá (5.618); Carauari (4.950); Iranduba (4.740); Presidente Figueiredo (4.611); Lábrea (4.424); Itacoatiara (3.835); Barcelos (3.509); Ipixuna (3.049); Eirunepé (3.014); Careiro (2.916); Rio Preto da Eva (2.881); Maués (2.836); Tabatinga (2.583); Santa Isabel do Rio Negro (2.475); São Paulo de Olivença (2.327); Manicoré (2.184); Boca do Acre (2.150); Benjamin Constant (2.074); Itapiranga (1.970); Nova Olinda do Norte (1.958); Autazes (1.954); Atalaia do Norte (1.888); Alvarães (1857); Pauini (1.802); Urucurituba (1.802); Barreirinha (1.698); Maraã (1.672); Tapauá (1.548); Beruri (1.525); Anori (1.487); Santo Antônio do Içá (1.394); Anamã (1.375); Novo Airão (1.327); Amaturá (1.321); Fonte Boa (1.256); Uarini (1.242); Urucará (1.190); Envira (1.186); Borba (1.128); Nhamundá (1.096); Guajará (1.056); Novo Aripuanã (1.056); Manaquiri (963); São Sebastião do Uatumã (961); Silves (951); Canutama (849); Tonantins (799); Jutaí (763); Juruá (740); Apuí (704); Japurá (695); Boa Vista do Ramos (675); Careiro da Várzea (636); Itamarati (610); Caapiranga (477) e Codajás (454). Número de óbitos Entre pacientes em Manaus, há o registro de 4.911 óbitos confirmados em decorrência do novo coronavírus. No interior, são 61 municípios com óbitos confirmados até o momento, totalizando 2.321. A lista inclui Manacapuru (221); Parintins (181); Coari (153); Itacoatiara (142); Tefé (119); Iranduba (92); Tabatinga (92); Humaitá (86); São Gabriel da Cachoeira (68); Maués (59); Presidente Figueiredo (56); Autazes (50); Lábrea (50); Benjamin Constant (48); Manicoré (43); Nova Olinda do Norte (42); Careiro (38); Barcelos (37); Borba (36); Rio Preto da Eva (35); São Paulo de Olivença (33); Barreirinha (32); Urucará (32); Santo Antônio do Içá (31); Alvarães (30); Manaquiri (28); Carauari (26); Santa Isabel do Rio Negro (26); Fonte Boa (25); Tonantins (23); Novo Airão (22); Anori (21); Nhamundá (21); Jutaí (19); Beruri (18); Boca do Acre (18); Itapiranga (18); Novo Aripuanã (18); Guajará (17); Urucurituba (17); Tapauá (16); Eirunepé (14); Uarini (14); Ipixuna (13); Pauini (13); Caapiranga (12); Apuí (11); Codajás (11); Silves (11); Amaturá (10); Boa Vista do Ramos (10); Maraã (10); São Sebastião do Uatumã (10); Juruá (8); Canutama (7); Itamarati (7); Careiro da Várzea (6); Atalaia do Norte (5); Japurá (5); Anamã (3) e Envira (2). VÍDEOS: Manaus vive colapso com hospitais sem oxigênio Initial plugin text

Entre abrigados e funcionários, foram aplicadas 60 doses da CoronaVac. Além das três mortes no ano passado, local teve outro surto em outubro. Entre idosos e funcionários, foram aplicadas 60 doses da vacina CoronaVac no Asilo São Vicente de Paulo, em Marília Divulgação Os idosos e funcionários do Lar São Vicente de Paulo, em Marília, foram vacinados na manhã desta segunda-feira (25) contra a Covid-19. No total, foram aplicadas 60 doses da vacina CoronaVac. O asilo já foi atingido por dois surtos da doença na atual pandemia de coronavírus. No meio do ano passado, três idosos morreram por complicações da Covid-19. Confira os números da pandemia de Covid-19 no centro-oeste paulista No fim de outubro, um novo surto foi registrado no local, com nove pessoas infectadas, sendo cinco idosos abrigados e quatro funcionários. Segundo a instituição que atualmente abriga 49 idosos, após os casos de surto, foram adotadas várias medidas, dentre elas o uso de equipamentos de segurança e controle de visitas, que estão suspensas desde o início da pandemia, no dia 16 de março. Asilo conta atualmente com 49 idosos abrigados Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília Veja mais notícias do centro-oeste paulista:

Edson Scabora está isolado desde quinta-feira (21), quando sentiu os primeiros sintomas. De acordo com a prefeitura, vice-prefeito está com quadro leve da doença. O vice-prefeito de Maringá, Edson Scabora Mileny Melo/Prefeitura de Maringá O vice-prefeito de Maringá, na região norte do Paraná, Edson Scabora, foi diagnosticado com a Covid-19, de acordo com nota divulgada pela prefeitura na tarde desta segunda-feira (25). De acordo com a prefeitura, o vice-prefeito está isolado desde quinta-feira (21), quando começou a sentir os primeiros sintomas da doença. Coronavírus no Paraná: veja as principais notícias Acompanhe a média móvel de mortes e casos no estado Vacinação no Paraná: veja perguntas e respostas Scabora apresenta sintomas leves e está sendo acompanhado por uma equipe de saúde. A esposa do vice-prefeito, Mirian Scabora, que é vice-presidente do Provopar, não foi diagnosticada com a doença, mas também está isolada, segundo a prefeitura. Maringá tem 25.881 casos confirmados e 362 mortes provocadas pela Covid-19, de acordo com boletim da prefeitura. Em todo o Paraná, a Secretaria de Estado da Saúde confirma 9.433 óbitos e 521.823 casos. VÍDEOS: Paraná Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Assaltantes entraram em estabelecimento, no Recanto das Emas, na noite de domingo (24). Cliente reagiu e suspeitos dispararam em direção a vítimas, mas ninguém ficou ferido. Bandidos assaltam hamburgueria, na quadra 805 do Recanto das Emas, no DF A Polícia Civil investiga um assalto ocorrido em uma hamburgueria na quadra 805 do Recanto das Emas, no Distrito Federal, no último domingo (24). Câmeras de segurança flagraram a ação. As imagens mostram que uma mulher que estava no local usou o corpo para proteger uma criança de tiros disparados por um suspeito (assista acima). No vídeo, os assaltantes chegam ao local e um deles, armado, aborda um cliente, que reage. Nesse momento, tem início uma confusão. O suspeito com a arma atirou contra os clientes. Depois, o outro levou celulares das vítimas. Ao todo, duas crianças estavam na lanchonete durante a ação. VÍDEO: assaltantes rendem funcionárias e roubam joalheria em shopping no Gama, no DF Trio é preso após invadir e roubar apartamento de família chinesa em Águas Claras, no DF Mulher protege criança durante assalto em lanchonete, no Recanto das Emas, no DF Reprodução Apesar do susto, ninguém ficou ferido. No dia do crime, a Polícia Militar chegou a ser chamada pelas vítimas, mas não houve registro de ocorrência. Segundo o delegado-chefe da 27ª DP , Pablo Aguiar, a Polícia Civil recebeu as imagens e foi atrás do responsável pela lanchonete, que só então registrou o caso. Em nota, a PM disse que os militares foram ao local, mas as vítimas já tinham saído. Segundo a corporação, policiais patrulharam a região mas não encontraram os criminosos. A PM afirmou ainda que, algum tempo depois, o dono de um dos celulares roubado encontrou uma equipe da corporação e disse que tinha conseguido rastrear o aparelho. "Com a ajuda da PM, ele localizou o celular no mato. Os policiais o orientaram a procurar a delegacia para registro. Por essa dinâmica, não se faz necessário o registro da PM na delegacia. A ausência de registro pela PM em nada interfere na investigação da Polícia Civil', continua a nota. Já o delegado Pablo Aguiar disse que a demora no registro do caso pode atrapalhar as investigações. "Teve um disparo de arma de fogo e o local não foi preservado. A vítima pegou o aparelho, que tinha que ser apresentado na delegacia, até para ver se tem algum vestígio, impressão digital. A delegacia se tivesse conhecimento mais cedo dos fatos, poderia ter auxiliado não só na preservação, como na realização de perícia no local, e em diligências para prender os autores." O delegado afirma que quem tiver informações sobre o caso pode fazer denúncia pelo número 197 ou no telefone da delegacia, o 3207-8220. Não é preciso se identificar. VÍDEOS: veja os destaques do G1 em 1 Minuto DF Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Segundo testemunhas, quando estava próximo da embarcação ele submergiu e não voltou mais. Bombeiros encontraram corpo a seis metros de profundidade. Represa na Comunidade de Martins, em Patrocínio Corpo de Bombeiros/Divulgação Um jovem de 26 anos morreu afogado na tarde desta segunda-feira na comunidade de Martins, em Patrocínio. Ele entrou em uma represa para buscar uma balsa, mas submergiu, segundo informações de testemunhas. O Corpo de Bombeiros foi acionado por pessoas que estavam no local, por volta das 14h, para atender a ocorrência de afogamento, em uma região próxima ao KM 401, da MG 188. De acordo com relato de pessoas que presenciaram o fato, o jovem queria trazer uma balsa até a margem e mergulhou na represa. Mas, quando estava a cerca de 1,5 metro da embarcação afundou e não conseguiu mais retornar à superfície. Equipe de mergulhadores dos bombeiros iniciaram uma busca circular na região informada onde a vítima havia desaparecido. O jovem foi encontrado a cerca de seis metros de profundidade. O corpo foi liberado por delegada da Polícia Civil para ser levado pela funerária.

Na gravação é possível ver que homem chega a agredir outras pessoas que estavam no local. Mulher relata que ex não aceita término e já a agrediu outras vezes: 'Separei porque não aguentava mais apanhar'. Lutador dá soco na ex-mulher em frente a distribuidora de bebidas em Morrinhos; vídeo Câmeras de segurança filmaram o momento em que a vendedora Milana Mirelly Silva, de 25 anos, é agredida em frente a uma distribuidora de bebidas em Morrinhos, na região sul de Goiás. As imagens mostram quando o agressor se aproxima da mesa em que a jovem está, conversa com ela por alguns segundos e, em seguida, começa a dar socos no namorado dela. Logo depois, ele dá um soco no rosto da vendedora e em um homem que tenta segurá-lo (veja vídeo acima). A Polícia Civil informou que o homem que aparece nas imagens é o lutador Fernando Henrique Cardoso da Silva, de 44 anos, ex-marido da vendedora. O caso aconteceu no último dia 10 de janeiro. No entanto, as imagens só foram divulgadas nesta segunda-feira (25). O G1 entrou em contato com a defesa do homem indiciado por agredir a vendedora, por mensagem de texto e ligação, entre as 17h58 e 18h48 desta segunda-feira (25), mas não recebeu retorno até a última atualização desta reportagem. Segundo a vendedora, Fernando é lutador de muay thai e teria a agredido por não aceitar o fim do relacionamento entre os dois. De acordo com a jovem, os dois foram casados por seis anos. Ela conta que o ex-marido sempre foi muito ciumento e já teria a agredido outras vezes. "Nesse dia ele chegou na mesa, virou para mim e falou que eu era muito corajosa de estar ali. Quando eu vi, ele já estava indo agredir meu namorado. Depois, eu só senti a pancada no rosto. Ele já falou que, se eu não ficar com ele, eu não vou ficar com mais ninguém. Terminei com ele justamente porque eu não aguentava mais apanhar", disse. Milana Mirelly Silva ficou com hematoma no rosto após ser agredida pelo ex-marido em Morrinhos, Goiás Milana Mirelly/Arquivo pessoal Por conta do soco, Milana ficou com o rosto inchado e com o olho roxo. Após a agressão, a jovem procurou um hospital na cidade, onde passou por uma tomografia que mostrou que ela teve um traumatismo facial. Além do ferimento no rosto, a vendedora conta que perdeu o emprego. "Faz um ano e quatro meses que separei dele. Eu já estava bem, me estabilizando e agora estou vivendo tudo que vivi antes. Não denunciei antes por medo, porque conheço ele. Mas agora não dá mais. Até meu emprego eu perdi, não posso perder minha vida", disse. No dia seguinte, ela procurou a Delegacia de Polícia de Morrinhos e registrou um boletim de ocorrência contra o ex-marido. Conforme o relatório policial no qual o G1 teve acesso, Fernando Henrique foi indiciado, no dia 15 de janeiro, pelos crimes de injúria, ameaça e lesão corporal. No entendo, como não houve flagrante, ele responde ao processo em liberdade. A reportagem entrou em contato com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), na noite desta segunda-feira (25), e foi informada que o órgão ainda não recebeu os autos desse caso. Fernando Henrique Cardoso da Silva foi indiciado por injúria, ameça e lesão corporal após agredir ex-mulher em Morrinhos, Goiás Reprodução/Facebook Veja outras notícias da região no G1 Goiás. VÍDEOS: últimas notícias de Goiás

Assista ao telejornal com as notícias do estado. Assista ao telejornal com as notícias do estado.

Afonso João da Silva, de 56 anos, foi morto no dia 14 de fevereiro de 2020, data em que a Polícia Militar prendeu o primeiro suspeito. Afonso João da Silva foi assassinado em assentamento Arquivo pessoal O segundo suspeito de participação no assassinato de um líder comunitário no assentamento Resnacer União da Vitória em Jaciara, a 144 km de Cuiabá, foi preso nesta segunda-feira (25). Afonso João da Silva, de 56 anos, foi morto no dia 14 de fevereiro de 2020, data em que a Polícia Militar prendeu o primeiro suspeito. Na manhã desta segunda-feira, os policiais receberam informações sobre o paradeiro do segundo suspeito e o prenderam, no Bairro Francisco Martelli. De acordo com as informações levantadas pela PM, o suspeito, que tem 24 anos, também estava sendo procurado por um roubo ocorrido no dia 5 deste mês em um supermercado da cidade. Acompanhado de advogado, o suspeito foi conduzido à Delegacia de Jaciara para demais medidas legais e apuração complementar dos dois crimes. O assassinato À época, a Polícia Militar foi acionada por moradores do acampamento Renascer, que disseram ter ouvido tiros por volta durante a noite. As testemunhas disseram aos militares, no entanto, que barulhos de tiro são comuns na região e, por isso, só constataram a morte de Afonso na manhã do dia seguinte. Ao chegarem na casa da vítima, que era líder do assentamento, os vizinhos encontraram Afonso caído no chão com marcas de tiros. No mesmo dia um dos suspeitos foi preso. Os policiais também apreenderam em barracos do acampamento documentos e aparelhos celulares que auxiliaram na investigação do homicídio.
Suspeito de cometer o crime já foi identificado. Polícia acredita que o homem tenha envolvimento com outros dois casos de estupros de crianças registrados nos últimos dias. A Polícia Civil de São José do Rio Preto (SP) investiga um caso de estupro de uma menina de 8 anos registrado nesta segunda-feira (25). De acordo com a corporação, a mãe da criança saiu para trabalhar e deixou a filha com a babá, que também é vizinha da família. Em determinado momento, a babá entrou na casa para ver se a menina tinha acordado e viu o homem na varanda. Ainda segundo a polícia, o homem saiu correndo assim que viu a mulher se aproximando. A vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada para o Hospital da Criança e Maternidade (HCM). O suspeito de cometer o crime já foi identificado. A polícia acredita que ele tenha envolvimento com outros dois casos de estupros de crianças registrados nos últimos dias. Em nota, a assessoria do Hospital da Criança e Maternidade informou que a menina foi atendida, medicada e foi liberara para voltar à casa da família. Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba VÍDEOS: mais assistidos da região i

Novas doses da CoronaVac seguirão sendo aplicadas a quem atende pacientes com a doença. Doses da vacina de Oxford/AstraZeneza começarão a imunizar população idosa. Estado anuncia vacinação para maiores de 85 anos e nova etapa para pessoal de saúde As novas doses de vacinas contra a Covid-19 que chegaram a Pernambuco entre o domingo (24) e esta segunda-feira (25) serão utilizadas para iniciar a vacinação de idosos com mais de 85 anos e para continuar a imunização de trabalhadores da saúde que atuam no atendimento a pessoas contaminadas. Nova etapa deve começar na terça-feira (26), segundo o governo (veja vídeo acima). O anúncio foi feito, por meio de vídeo divulgado pelo governador Paulo Câmara (PSB), nesta segunda. Horas antes, chegaram ao Aeroporto do Recife mais 38,4 mil doses da CoronaVac, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Elas são do mesmo tipo das 270 mil doses que chegaram no dia 18 de janeiro e que já estão sendo aplicadas. Essas novas unidades seguirão sendo aplicadas nos profissionais de saúde. Carga de vacinas chegou ao Recife nesta segunda (25) Meiry Lanunce/TV Globo No domingo, foram 84 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca. Essas doses serão utilizadas para iniciar a vacinação dos idosos com mais de 85 anos. Até então, só estavam sendo imunizados idosos e pessoas com deficiência que vivem em asilos, profissionais de saúde da linha de frente e indígenas que moram em aldeias. De acordo com o Plano de Vacinação contra a Covid-19 de Pernambuco, divulgado na terça-feira (19), prevê 2.949.695 pessoas dentro do grupo prioritário. Uma reunião para decidir a destinação das novas doses de vacina foi realizada nesta segunda, com os municípios do estado. A decisão de destinar as vacinas de Oxford aos idosos ocorre por causa da taxa de mortalidade por Covid-19. Segundo o governo, essa população representa 15% do total de mortes. De março de 2020 até esta segunda, 10,2 mil pernambucanos morreram pela doença. Entre os idosos com mais de 85 anos que adoeceram de Covid-19, cerca de 66% morreram. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, as vacinas serão repassadas aos municípios de acordo com a quantidade de habitantes idosos acima dos 85 anos, "com a orientação de que a imunização seja facilitada de todas as maneiras possíveis". O estado informou que os idosos serão vacinados em casa, se for necessário. A imunização em domicílio ocorrerá em casos de pessoas que apresentarem dificuldade de locomoção. "Ainda estamos longe de vacinar todos os integrantes do primeiro grupo prioritário. Temos mais três grupos de prioridades antes de começar a imunização em massa. Por isso, o cuidado em evitar aglomerações, a observação da higiene das mãos e o uso de máscaras permanecem como orientações válidas", disse o governador Paulo Câmara (PSB). VÍDEOS: novidades sobre vacinas contra a Covid-19

O rompimento da barragem da Vale matou 270 pessoas. Até hoje ninguém foi preso ou nem julgado. Ninguém foi preso ou julgado pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho Em meio a tanto sofrimento e saudade, as famílias das vítimas e todos os atingidos pelo rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, pedem justiça. Até hoje ninguém foi preso ou nem julgado. O processo criminal está parado há mais de um mês. “Quem foi punido até hoje pelo crime que aconteceu? Rompeu a barragem, ela não rompeu por romper. Houve culpados e cadê esses culpados? Você não vê mais falar em condenação”, disse Ana Paula dos Santos Assis, mulher de Marcos Aurélio que morreu na tragédia. Bombeiro observa a lama que tomou conta do Córrego do Feijão em Brumadinho, dias após o colapso da barragem Mauro Pimentel/AFP Jacira Francisca Mateus Costa, que perdeu o filho Thiago, também se desespera com a impunidade. “Ele trabalhava na Vale há 13 anos. Menino alegre sorridente, nada era empecilho para ele e foi assassinado brutalmente pela Vale”, disse a mãe. Em dois anos, ninguém foi preso e nem mesmo julgado pelas 270 mortes. Dezesseis pessoas, de engenheiros a dirigentes da Vale e da consultoria Tuv Sud, respondem por homicídio doloso duplamente qualificado. Todos eles e as duas empresas também respondem por crimes ambientais. Para dar celeridade ao andamento processual peças do processo físico foram digitalizadas. A defesa alegou inconsistências da plataforma de acessos a documentos sigilosos. A magistrada entendeu por suspender o prazo para apresentação de manifestação do Ministério Público, que era o próximo andamento, para adoção de providências solicitadas pela defesa. Já um procedimento interno foi aberto para adoção das providências solicitadas. Mas a ação criminal está suspensa desde 15 de dezembro, após a defesa alegar que teve problemas para acessar documentos do processo que foram digitalizados. Placa dá boas-vindas ao Córrego do Feijão, em Brumadinho Reprodução/TV Globo Entre as ações de reparação ambiental e socioeconômica, a mineradora teve R$ 10 bilhões bloqueados. E há quase dois anos paga auxílio emergencial às vítimas, pelo menos até o fim deste mês. “Eu acredito imensamente e falo que acredito na Justiça. Eu acredito que agora, completando dois anos, a gente vai ter uma resposta”, disse Flávia Aparecida Barbosa Coelho, filha de Olavo, vítima do rompimento da barragem. Parte dos atingidos optou por negociações individuais com a empresa, para evitar a abertura de processo judicial e receber indenização em um prazo mais curto. Até agora, a Defensoria Pública Estadual intermediou quase 500 acordos, reconhecidos pela Justiça, e acredita que pode passar pelo menos mais dez anos negociando a reparação de danos. Ainda sem acordo Vítimas da tragédia de Brumadinho foram lembradas dois anos após rompimento da barragem. Geraldo Capreta / TV Globo Mas a negociação que envolve bilhões de reais em ressarcimento ao estado, travou na semana passada depois de meses de conversas com representantes da Vale. O prazo para uma última proposta por parte da mineradora termina na sexta-feira (29). Se não houver acordo, a decisão será da justiça. A mineradora declarou que “apesar dos imensos desafios trazidos pela pandemia de Covid-19, a Vale manteve os seus compromissos em Brumadinho e região, adaptou procedimentos para assegurar a saúde e segurança de todos os envolvidos e permanece empenhada em reparar integralmente os atingidos e as comunidades impactadas pelo rompimento da barragem B1”. Ela ainda disse que já pagou mais de R$ 2 bilhões em indenizações. Ao todo, 8,7 mil pessoas já firmaram acordos de indenização com a Vale, sendo 1,6 mil por meio da justiça trabalhista e 7,1 mil pessoas em indenizações cíveis. No total, mais de 3,8 mil acordos foram assinados e que o pagamento emergencial mensal segue sendo pago a mais de cem mil pessoas. Sobre o fim do prazo do auxílio emergencial em 31 de janeiro, a Vale afirmou que realiza o pagamento de até um salário mínimo por mês conforme acordo judicial. O Ministério Público Estadual afirmou que a empresa vai apresentar uma proposta de acordo na sexta-feira e que, até lá, não irá comentar o assunto. Sobre a suspensão do processo criminal, o Tribunal de Justiça afirmou que já abriu procedimento interno para adotar as providências solicitadas pela defesa. A Tüv-Süd declarou que busca o esclarecimento sobre o rompimento da barragem e que coopera com as autoridades e instituições no contexto das investigações em andamento. Veja os vídeos mais assistidos do G1 MG

Segundo prefeitura, homens chegaram atirando e ele foi baleado. Ainda não há informações se vítima era alvo dos tiros; outras cinco pessoas ficaram feridas. Vereador morto a tiros em ataque a bar em Candeias é enterrado Arquivo Pessoal O vereador da cidade de Candeias, na região metropolitana de Salvador, morto a tiros no bairro Sarandi, na noite de domingo (24), foi enterrado na tarde desta segunda-feira (21). O corpo de André Luiz Ferreira de Araújo (PP), conhecido como Júnior CCA, foi velado no plenário da casa. A vítima estava em um bar próximo à casa dele quando foi baleado. Vereador morto a tiros em ataque a bar em Candeias é enterrado Arquivo Pessoal Segundo a prefeitura da cidade, homens chegaram atirando e o vereador foi baleado. Ainda não há informações se ele era alvo dos tiros. Segundo a polícia, outras cinco pessoas ficaram feridas, incluindo a esposa da vítima. O vereador chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), assim como os outros feridos, mas ele não resistiu aos ferimentos. A esposa dele está internada no Hospital Geral do Estado (HGE). Não há detalhes sobre o estado de saúde dela. Júnior CCA tinha 38 anos e estava no primeiro mandato. A prefeitura de Candeias decretou luto oficial de três dias pela morte do parlamentar, em respeito aos amigos, eleitores e familiares. Nas redes sociais, a prefeitura escreveu que "a cidade perde um líder político, que tinha em seu perfil a juventude, o caráter, a coragem e a busca incessante pelo bem estar da população candeense". Vereador é morto a tiros em Candeias Reprodução/Redes Sociais Veja mais notícias do estado no G1 Bahia. Vereador é morto a tiros em ataque a bar em Candeias Reprodução/TV Bahia Assista aos vídeos do Jornal da Manhã 💻 Ouça 'O Assunto' 🎙
Segundo a prefeitura, foi disponibilizada a vacina CoronaVac com prioridade aos idosos da instituição, considerando a situação de vulnerabilidade. A prefeitura de Itaberá (SP) vacinou, nesta segunda-feira (25), todos os 26 idosos que são assistidos pelo Lar São Vicente de Paula na cidade. Confira os números da pandemia de Covid-19 na região de Itapetininga Segundo a prefeitura, foi disponibilizada a vacina CoronaVac com prioridade aos idosos da instituição, considerando a situação de vulnerabilidade deles, já que muitos têm idade avançada ou doenças preexistentes. Veja mais notícias no G1 Itapetininga e Região Initial plugin text VÍDEOS: mais assistidos da região

Foram três mortes que ocorreram nas últimas 24 horas, segundo a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). O Rio Grande do Norte tem 136.141 casos confirmados e 3.240 mortes por Covid-19 desde o início da pandemia. É o que aponta o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) após a atualização dos dados nesta segunda-feira (25). Em comparação com o boletim mais recente, divulgado no sábado (23), são 1.260 casos a mais e 10 novas mortes, sendo três nas últimas 24 horas - em Equador, Parnamirim e São Tomé. O boletim indica ainda que 559 óbitos estão sob investigação. De acordo com a Sesap, o Rio Grande do Norte tem 74.937 casos suspeitos de Covid-19 e outros 313.211 descartados. O número de confirmados recuperados segue em 95.604, e o de inconclusivos, tratados como "Síndrome Gripal não especificada", se manteve em 65.810. O boletim indica que 443 pessoas estão internadas por causa da Covid-19 no RN, sendo 311 na rede pública e 132 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 55% na rede pública e de 45,7% na rede privada. Ao todo, 360.205 testes para Covid-19 foram realizados no estado até o momento, sendo 190.016 RT-PCR (conhecidos também como Swab) e 170.189 sorológicos. Números do coronavírus no RN 136.141 casos confirmados 3.240 mortes 74.937 casos suspeitos 313.211 casos descartados 96.604 confirmados recuperados Teste rápido para Covid-19 Jefferson Peixoto/Secom Initial plugin text 76
Promotoria de Saúde Pública do Ministério Público de Sorocaba (SP) enviou uma recomendação à prefeitura após o órgão não publicar um decreto com as determinações. A Prefeitura de Sorocaba (SP) não publicou o decreto municipal com as determinações da fase vermelha do Plano São Paulo até a tarde desta segunda-feira (25). Com isso, a Promotoria de Saúde Pública do Ministério Público enviou uma recomendação ao órgão para o cumprimento das regras. De acordo com a promotora, Cristina Palma, a recomendação foi enviada por e-mail à prefeitura no final da tarde desta segunda. O documento informa que a multa diária é de R$ 10 mil em caso de descumprimento do decreto estadual. Além disso, o documento também sinaliza que a prefeitura tem que adotar imediatamente as medidas necessárias estabelecidas pelo fase vermelha e que, se isso não for feito, o prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) poderá responder por possível prática de improbidade administrativa. A TV TEM entrou em contato com a Prefeitura de Sorocaba sobre a recomendação, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem. Veja mais notícias da região em G1 Sorocaba e Jundiaí
Festa clandestina no bairro Jardim Imperador reuniu uma multidão na Zona Leste. Polícia Militar chegou depois que o baile havia começado, e não dispersou aglomeração. Imagens mostram baile funk com aglomeração na Zona Leste de São Paulo Um baile funk na Avenida Piranguçu, no bairro Jardim Imperador, reuniu uma multidão na Zona Leste de São Paulo nesta segunda-feira (25), feriado do aniversário da cidade. O Globocop flagrou uma grande aglomeração na Praça do Vinho por volta das 18h. Questionada, a Polícia Militar disse que o "evento foi mobilizado via redes sociais", e que, "por volta das 10h [o baile funk] já estava instalado, sendo o efetivo empregado no policiamento no entorno". Em nota, a Secretaria de Segurança Pública destacou ainda que "realiza operações para evitar a formação de pancadões em todo o estado de São Paulo, e que, nesta segunda, foram realizadas ações para dispersar frequentadores que iniciavam bailes ou geravam perturbação do sossego". "Os locais são mapeados e, dentro de critério técnico, as viaturas direcionadas para impedir a instalação do pancadão. Quando já iniciado, o policiamento é mantido pelas imediações, para garantir o direito de ir e vir das demais pessoas", afirmou a Secretaria de Segurança Pública. A cidade de São Paulo está na fase laranja da quarentena, que não permite a realização de festas e aglomerações. O governo fez alterações no Plano São Paulo, que divide o estado em 17 regiões e regula o que pode funcionar em cada uma delas. A mudança foi anunciada pelo governo de João Doria (PSDB) na última sexta-feira (22) após mais uma semana de piora nos indicadores de Covid-19 no estado. De acordo com a nova regra, a fase vermelha da quarentena, que permite o funcionamento apenas de serviços essenciais, passa a valer das 20h às 6h em dias úteis a partir desta segunda-feira (25) em todas as regiões do estado de São Paulo, e também aos finais de semana, durante todo o dia. Festa clandestina no domingo Uma ação da Vigilância Sanitária estadual e da Polícia Militar fechou uma festa clandestina de música eletrônica em uma chácara na Estrada da Cumbica, na região do Jardim Ângela, na Zona Sul de São Paulo, neste domingo (24). De acordo com a Vigilância Sanitária, havia no local cerca de 800 pessoas. A festa foi encerrada por volta das 14h. Em nota, a Polícia Militar afirma que o organizador do evento foi identificado e encaminhado ao 47ºDP (Capão Redondo), onde uma infração permitir aglomeração e pela falta do uso de máscaras foi lavrada. Mais de 800 pessoas se reúnem em festa clandestina na Zona Sul A Vigilância Sanitária teve acesso a informações, postadas em um aplicativo de mensagens, sobre o valor cobrado para os frequentadores, a partir de R$ 100. Além de agentes da Vigilância Sanitária, homens da Tropa de Choque estiveram no local, segundo a Secretaria Estadual da Saúde. Quando os agentes chegaram ao evento, pessoas que estavam na festa tentaram impedir a entrada da fiscalização. VÍDEOS: tudo sobre SP e Região Metropolitana

São oferecidas vagas para diversos cargos com formação que varia entre ensino fundamental e nível superior. Processe seletivo será no próximo domingo (31) em Bom Despacho Reprodução/ TV Gazeta O local de prova e os horários para as provas do processo seletivo 5/2020 foram divulgados nesta segunda-feira (25), pela Prefeitura de Bom Despacho. As avaliações serão realizadas no próximo domingo (31), na UNA Bom Despacho, às 9h e às 14h. São oferecidas vagas para diversos cargos com formação que varia entre ensino fundamental e nível superior. Os salários podem variar entre R$ 1.083,78 e mais de R$ 9 mil, dependendo do cargo e das horas trabalhadas. A Prefeitura orienta que o candidato chegue ao local de prova com 45 minutos de antecedência, com documentos de identificação e caneta esferográfica azul ou preta. O candidato também deve seguir as normas de segurança contra o coronavírus, como uso de máscara. O Executivo afirmou que haverá distanciamento das mesas, todos os aplicadores usarão máscaras, será disponibilizado álcool em gel e o número de pessoas por sala será reduzido. A UNA Bom Despacho fia no km 480 da BR-262. Mais informações sobre o edital estão disponíveis no site do Município. Prova, horários e cargos Às 9h: a avaliação será realizada para os candidatos dos seguintes cargos: agente comunitário de saúde, atendente de consultório dentário, auxiliar de saúde bucal, e técnicos de gestão pública formados em técnico em enfermagem, técnico em higiene dental, técnico em informática e orientador social; Às 14h: a prova será realizada para os candidatos dos seguintes cargos: agente de combate a endemias, gestor público, médico, médico auditor e técnico em gestão pública.
Informação foi divulgada nesta segunda-feira (25) e reforça comunicado de setembro de 2020. Associação afirma que suspensão acontece em respeito a saúde pública, aos profissionais da linha de frente de combate à Covid-19 e às vítimas da doença. A Associação de Blocos e Atividades Carnavalescas de Cabo Frio (Abaccaf), na Região dos Lagos do Rio, emitiu uma nota nesta segunda-feira (25) reforçando a decisão de suspender o Carnaval de rua da cidade este ano, devido à pandemia da Covid-19. Em setembro de 2020, a associação já havia afirmando que não realizaria os eventos tradicionais do principal Carnaval da região. De acordo com o novo comunicado, emitido pelo presidente da entidade, Joir Reis, o evento está cancelado em respeito à saúde pública, aos profissionais da linha de frente de combate ao novo coronavírus, aos familiares das vítimas da doença e, principalmente, "em respeito aos princípios de valor a vida e celebração da felicidade que representa nosso Carnaval e norteiam nossas ações", afirmou a associação. De acordo com o último boletim epidemiológico municipal, divulgado no último domingo (24), Cabo Frio tem 6.017 casos confirmados da Covid-19, com 247 mortes causadas pela doença.

Objetivo é evitar vacinação de pessoas que não pertencem ao grupo prioritário, que é formado, neste momento, por profissionais da saúde na ativa. Vacinação contra a Covid-19 Pedro Gontijo/Imprensa MG/Divulgação A prefeitura de Belo Horizonte anunciou, nesta segunda-feira (25), que vai auditar as doses das vacinas contra Covid-19 aplicadas nos hospitais. O objetivo é impedir a vacinação de pessoas não pertencentes ao grupo prioritário. Um canal de ouvidoria foi criado para receber denúncias. De acordo com o executivo municipal, são seguidas as diretrizes estabelecidas pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. Devem ser imunizados os trabalhadores ativos de 49 hospitais públicos, filantrópicos e privados, além de profissionais do Samu. Trabalhadores afastados por pertencer ao grupo de risco não devem receber a imunização. Segundo a prefeitura, foram distribuídas 61.368 mil doses da Coronavac referentes à primeira etapa de vacinação. Além dessas, outras 6.882 foram entregues diretamente pela Rede de Frio da Secretaria Estadual de Saúde para os hospitais Militar, Eduardo de Menezes e Júlia Kubitschek, contemplando as duas fases da vacinação. A responsabilidade pela vacinação é de cada instituição, que deve registrar as doses aplicadas no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações, ou diante de instabilidade do sistema, preencher os dados em formulários próprios distribuídos pelo executivo municipal. Quem quiser fazer uma denúncia de aplicação de vacinas em pessoas que não pertencem ao grupo prioritário, deve fazer o registro na ouvidoria, no site da prefeitura. Mais doses A capital mineira ainda vai receber as doses da vacina Oxford/AstraZeneca. A prefeitura informou que aguarda informações sobre o quantitativo que será repassado para definir a estratégia da nova fase de imunização. A prefeitura disse que ainda não foi informada oficialmente da nova remessa da Coronavac que chegou na tarde desta segunda, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. Veja os vídeos mais assistidos no G1 MG nos últimos 7 dias:

Postagem nas redes sociais foi feita após o presidente Jair Bolsonaro dizer nesta segunda-feira (25) que foram liberados para exportação 5,4 mil litros de insumos para produção da vacina pelo Instituto Butantan. Governador de SP chegou a anunciar antes do presidente que se reunirá com embaixador chinês Yang Wanming na terça-feira (26). Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante a coletiva de imprensa nesta segunda-feira (25). Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (25) que a liberação de 5,4 mil litros de insumos para produção da da CoronaVac só foi possível devido ao esforço da gestão estadual e do Instituto Butantan. A postagem foi feita depois de o presidente Jair Bolsonaro publicar em uma rede social que a Embaixada da China no Brasil informou que os insumos estavam liberados. "Não é verdade o que disse o Presidente Bolsonaro em suas redes, de que a importação de insumos da China foi uma realização do Governo Federal. Todo o processo de negociação com a China para liberação de insumos para a vacina do Butantan foi realizado pelo Instituto e pelo Governo de São Paulo", escreveu Doria em suas redes sociais. Em entrevista à TV Globo, Doria se mostrou indignado e classificou a atitude de Bolsonaro como um "oportunismo escancarado". Em nota, Doria disse que a negociação com a China "é continua e nunca foi interrompida, mesmo quando o Governo Federal através do presidente da República anunciou publicamente em mais de uma ocasião, que não iria adquirir a vacina por causa de sua origem chinesa". Após a publicação de Bolsonaro na rede social, o embaixador Chinês Yang Wanming, escreveu mensagem na mesma rede: "A China está junto com o Brasil na luta contra a pandemia e continuará a ajudar o Brasil neste combate dentro do seu alcance. A União e a solidariedade são os caminhos corretos para vencer a pandemia". Em outubro, Bolsonaro chegou a suspender um acordo entre o Ministério da Saúde e o Butantan para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. Na ocasião, o presidente disse em uma rede social que os brasileiros não seriam "cobaia" de ninguém e se referiu à CoronaVac como a "vacina chinesa de João Doria". Em novembro, quando os testes da CoronaVac foram interrompidos devido a morte de um dos voluntários, o presidente chegou a dizer que a vacina causava "morte, invalidez, anomalia". A morte do voluntário não ocorreu por causa da vacina. Reunião com embaixador Pouco antes, o governador João Doria divulgou que se reunirá na terça-feira (26) com o embaixador da China para discutir o envio dos insumos. "Amanhã ao término desta conferência com o embaixador da China já poderemos anunciar os novos lotes da vacina e a quantidade, lotes dos insumos para a quantidade de vacinas do Butantan", disse o governador. O anúncio foi feito durante uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (25) no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul de São Paulo. O evento reuniu o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), presencialmente, e os ex-presidentes José Sarney (MDB) e Michel Temer (MDB), que participaram de forma virtual. Na última quinta-feira (21), o governo de São Paulo relatou que teria pedido ao ex-presidente Michel Temer que entrasse nas negociações para liberar a importação dos insumos. Durante a coletiva de imprensa, Temer disse que o embaixador da China confirmou que os ativos serão enviados ao Brasil. "Conversei com o senhor embaixador da China no Brasil, havíamos agendado uma conversa e nessa conversa a notícia que eu tive é que os insumos estão sendo acondicionados a uma pequena questão técnica lá na China, mas eles virão para o Brasil, tanto no Instituto Butantan, como para na FioCruz", disse o ex-presidente. Reunião de ex-presidentes Apesar da presença dos ex-presidentes, Doria disse que esse o evento não era um ato político, mas uma ação em defesa da vida, com a vitória da ciência. Segundo ele, todos os ex-presidentes foram convidados, mas somente três participaram do evento. “Convidei todos os ex-presidentes da República do Brasil entendendo que este ato, esse gesto não seria, como não é, um ato político e muito menos um ato de confronto, ao contrário, é um ato de união, de solidariedade, de humanidade e de entendimento que a vida dos brasileiros está acima de qualquer sentimento político, partidário, eleitoral, ou de qualquer outra ordem”, afirmou o governador. Os ex-presidentes Dilma Rousseff (PT), Lula (PT) e Fernando Collor (PROS) foram convidados, mas recusaram o convite. Doses da CoroVac A CoronaVac é uma vacina contra Covid-19 baseada em vírus inativado e desenvolvida pela Sinovac em parceria com o Butantan. Parte das doses foi entregue pela Sinovac já pronta para uso, enquanto outra parte é formulada pelo instituto em São Paulo. O Instituto Butantan necessita dos insumos para retomar o processo de envase da CoronaVac em São Paulo, afirmou na segunda-feira (18) o diretor-presidente do instituto, Dimas Covas. No último domingo (17), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso emergencial dos 6 milhões de doses importadas prontas da China. Um cronograma firmado entre o Instituto Butantan e o Ministério da Saúde prevê a entrega de 8,7 milhões de doses da vacina até 31 de janeiro. Desse total, 6 milhões foram entregues ao longo desta última semana. Na segunda-feira (18), o Butantan fez um pedido de uso emergencial para 4,8 milhões de doses da CoronaVac envasadas no instituto, o que foi aprovado. No entanto, de acordo com o Butantan, após processo de envase e conferência do lote, o total de doses envasadas foi de 4,1 milhões de doses. Desses 4,1 milhões de doses, 900 mil foram liberadas na sexta-feira (22).

'Champ está curtindo sua nova cama de cachorro perto da lareira e Major adorou correr pelo gramado sul', disse porta-voz da primeira-dama Jill Biden, após animais chegarem de Delaware, no domingo (24). Presidente também prometeu que irá adotar um gato. A primeira-dama dos EUA, Jill Biden, faz carinho em Champ, um dos cães da família, após a chegada do animal à Casa Branca, no domingo (24) Adam Schultz/White House/Handout via Reuters O som de patas no chão está sendo ouvido na Casa Branca novamente após a chegada dos cães Champ e Major, do presidente Joe Biden. Os dois pastores alemães são os primeiros animais de estimação a morar na mansão executiva desde o governo Obama. Cães da família Biden se mudam para a Casa Branca Major se tornou uma celebridade no ano passado depois que Biden, então presidente eleito, quebrou o pé direito enquanto brincava com o cachorro em sua casa em Wilmington, Delaware. Os Bidens o adotaram em 2018, da Delaware Humane Association. Champ é bem mais velho: se juntou à família após a eleição presidencial de 2008 que tornou Joe Biden vice-presidente. Major, cão de Joe e Jill Biden, explora o gramado sul da Casa Branca, no domingo (24) Adam Schultz/White House/Handout via Reuters Os cães se mudaram para a Casa Branca no domingo (24), após a posse de Biden na semana passada. Após 4 anos de Trump, que não tinha bicho de estimação, Casa Branca voltará a ter cão presidencial com Biden “A primeira família queria se estabelecer antes de trazer os cães de Delaware para Washington”, disse Michael LaRosa, porta-voz da primeira-dama Jill Biden. “Champ está curtindo sua nova cama de cachorro perto da lareira e Major adorou correr pelo gramado sul.” Major, cão de Joe e Jill Biden, explora o gramado sul da Casa Branca, no domingo (24) Adam Schultz/White House/Handout via Reuters Os cães foram ouvidos latindo do lado de fora perto do Salão Oval na segunda-feira, quando Biden assinou uma ordem executiva suspendendo a proibição do governo anterior de transgêneros servindo no exército. Na semana passada, a Delaware Humane Association copatrocinou uma arrecadação de fundos virtual de "inaudoguração" para celebrar a jornada de Major de filhote de abrigo a primeiro cão. Mais de US$ 200 mil foram arrecadados. Os Bidens haviam prometido levar os cães com eles para a Casa Branca. Eles planejam adicionar um gato, embora nenhuma atualização sobre a chegada do felino tenha sido compartilhada na segunda-feira. A primeira-dama dos EUA, Jill Biden, conduz Champ, um dos cães da família, na chegada do animal à Casa Branca, no domingo (24) Adam Schultz/White House/Handout via Reuters A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, previu, enquanto respondia a perguntas de membros do público em vídeo, que o gato “dominará a internet” quando chegar. O antecessor de Biden, Donald Trump, não possui nenhum animal de estimação e não tinha nenhum com ele na Casa Branca. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

Com cartazes contendo frases como ‘queremos trabalhar’, manifestantes chegaram a impedir passagem de veículos. Prefeitura diz que vai levar demanda do setor ao governo do estado. Comerciantes fazem protesto por flexibilização do Plano SP em Marília Alcyr Netto/TV TEM Comerciantes de Marília (SP) fizeram na manhã desta segunda-feira (25) um protesto reivindicando a abertura do comércio com a flexibilização das regras do Plano São Paulo na cidade, que está desde o último dia 15 na fase vermelha, a qual só permite o funcionamento de serviços essenciais. Os manifestantes se reuniram em frente a prefeitura com cartazes nas mãos contendo críticas ao governador João Doria (PSDB) e frases de ordem como “Queremos trabalhar”. Eles chegaram a impedir a passagem de veículos em alguns momentos. Confira os números da pandemia de Covid-19 no centro-oeste paulista Em nota, a Prefeitura de Marília informou que pela manhã também recebeu representantes e diversos empresários do comércio para ouvir suas demandas. A nota diz ainda que vai levar essas demandas ao conhecimento do governo do estado em reunião presencial marcada para esta terça-feira (26), no Palácio dos Bandeirantes. Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília Veja mais notícias do centro-oeste paulista:

Sérgio Roberto de Carvalho, conhecido como major Carvalho, comanda uma organização criminosa internacional e é procurado pelas polícias do Brasil e da Europa. Ele teve a aposentadoria suspensa em 2010, mas voltou a receber o benefício em 2016. Major Carvalho trabalhou por dezesseis anos na Polícia Militar de Mato Grosso do Sul TV Globo/Reprodução Procurado pelas polícias do Brasil e da Europa por comandar uma organização criminosa internacional, o ex-major e agora megatraficante, Sérgio Roberto de Carvalho, possui cerca de R$ 1,3 milhão a receber de aposentadoria pela Polícia Militar em Mato Grosso do Sul. Major Carvalho, como era conhecido no Brasil, foi transferido para a reserva remunerada da Polícia Militar em 1997. Um ano depois, ele foi condenado a mais de quinze anos de prisão pelo tráfico de cerca de duzentos e trinta quilos de cocaína. O ex-PM sofreu um processo para a perda do posto e da patente e, em junho de 2010, teve a aposentadoria suspensa. Ex-policial brasileiro vira traficante internacional e forja a própria morte para fugir Em outubro de 2016, porém, o desembargador Claudionor Miguel Duarte mandou a Agência de Previdência do Mato Grosso do Sul (Ageprev-MS) voltar a pagar a aposentadoria ao ex-major, sob pena de crime de desobediência. A alegação é de que a condenação do ex-PM veio depois de ele ter sido transferido para a reserva remunerada. Pelos mais de seis anos sem o benefício, os advogados do major Carvalho querem que a Ageprev pague a ele R$ 1,3 milhão. O agora megatraficante foi demitido da PM em 2018, mas, no processo contra a Ageprev, a Justiça entendeu que ele tem direito a aposentadoria mesmo com a perda do posto e da patente. O último pagamento da aposentadoria do ex-major foi em dezembro, referente a novembro, cerca de R$ 9 mil. Portal da Transparência mostra pagamento de mais de R$ 9 mil de aposentadoria ao ex-major em dezembro do ano passado TV Globo/Reprodução De acordo com a secretária estadual de Administração, Ana Carolina Nardes, o estado vai recorrer neste processo. "Porém se o judiciário entender pelo pagamento do valor ao major, ele terá de fazer a prova de vida ou a pessoa que tiver em seu inventário. O caso do não comparecimento dele fará com que a Ageprev tome medidas para suspensão definitiva do benefício", finaliza. O benefício voltou a ser cortado pelo governo do estado após notícias de que o major Carvalho teria morrido na Europa, enquanto usava um nome falso, de Paul Wouter, um suposto empresário do Suriname que escolheu Marbella, uma cidade do sul da Espanha para viver. O Fantástico deste domingo (24) mostrou, no entanto, que ele está vivo e foragido. Para escapar da prisão com a nova identidade, o major Carvalho forjou um atestado de óbito por Covid-19. A última vez que ele foi visto no Brasil foi em um hotel de Campo Grande, em 2018. O paradeiro dele, agora, é desconhecido. O G1 e a TV Morena tentaram contato com os advogados dele, mas até a publicação desta reportagem, ninguém havia respondido. VIDA NA EUROPA Segundo a Polícia Federal, Sérgio Roberto de Carvalho comanda uma organização criminosa internacional. Ele teria montado um esquema para mandar grandes quantidades de cocaína para Europa, África e Ásia. Na Europa, o ex-major brasileiro se escondeu em uma identidade falsa: Paul Wouter. A polícia europeia desmontou parte dessa história. O verdadeiro negócio do empresário era o tráfico de drogas. Em agosto de 2020, o latino Paul Wouter — que era na verdade o ex-major e traficante brasileiro — chegou a ser preso. A suspeita: chefiar a quadrilha que trouxe cocaína da América do Sul para a Europa em uma embarcação, mas ele pagou fiança e foi solto. A polícia portuguesa encontrou 12 milhões de euros em endereço ligado ao traficante. A fuga aconteceu depois que a polícia europeia foi comunicada sobre a outra parte da história, o de sua identidade falsa. Antes disso, o ex-major já tinha enganado a Justiça com uma outra farsa: um atestado de óbito por Covid-19 forjado que o livrou de aparecer como Paul Wouter no julgamento pela droga apreendida no barco. Quem alertou a polícia europeia que Paul e o ex-major Carvalho eram a mesma pessoa foi a Polícia Federal brasileira.